quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Sorte de cão


Sorte de cão numa noite sem faro para o Golo


"Todas esbarraram ou acabaram nas luvas de Malafeev, o único capaz de resistir à avalanche portista, que já então justificava o balançar das redes. Nessa altura, já o afortunado imitador de cães se transformara, por livre e espontânea vontade (ou, quem sabe, por instinto), num mero defesa, que recuperava representações caninas na forma frequente com que cheirava a bola e corria atrás dos calcanhares do adversário."  

Também Pode Gostar

Blog Widget by LinkWithin