terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Levou porrada.....


Cartoon Carlos Laranjeira




mas Ganhou...!



Glórias de Peso


HenriCartoon


Glórias do passado, do presente e do futuro. Glórias de sempre, juntaram-se na Luz para ajudar as vítimas do sismo no Haiti. Mais de 51.000 pessoas disseram presente.

Seis golos no total, três para cada lado - o resultado generoso e cordial que o Jogo contra a Pobreza exigia...

Os adeptos tiveram uma oportunidade única para ver estrelas  lado a lado.
Luisão a fazer dupla com Humberto Coelho; Miguel Vítor ao lado de Mozer; Chalana a tabelar com Rui Costa e Miccoli; Poborsky no apoio a Saviola e Cardozo; Valdo ao lado de Shéu. Tudo isto (e muito mais) foi possível, por uma noite...

Mas o momento hilariante da noite foi mesmo a entrada de Mats Magnusson! Já lá dentro, escorregou nas duas intervenções que teve no jogo:  «foi falta, as duas vezes que caí foi falta», afirmou com um humor refinado.

Sempre bem disposto afirmou que Jorge Jesus apenas o deixou jogar 5 minutos...

Questionado sobre se tem visto o Benfica actuar na Liga portuguesa, o antigo ponta-de-lança foi directo:

«Claro. O Cardozo? Chuta bem. O Benfica vai ser campeão.»

«Sábado o Benfica dá três ou quatro ao V. Guimarães. Vou lá ver, vou ficar até domingo. Digam aos sócios que estou cá até domingo.»

Mais uma noite memorável que só o BENFICA sabe proporcionar...



Sporting-Benfica nas meias finais




Sporting-Benfica


Porto-Académica 


Jogos a 10 de Fevereiro (Quarta-feira)



Zé Diogo Quintela responde a Pinto da Costa



Soube pela imprensa que Pinto da Costa tenciona processar-me. Anunciou-o numa cerimónia do FCP em que também agraciou Bruno Alves com um prémio. Portanto, queixa-se por eu lhe pisar os calos, ao mesmo tempo que louva um jogador que tem por hábito pisar rótulas. Deve ser a isto que chamam a ironia de Pinto da Costa. Segundo os jornais, tem que ver com a minha crónica de há quinze dias, onde ficcionei uma escuta no futuro, entre PC e um árbitro. Confesso que acho estranho: Pinto da Costa esforçou-se tanto para que as escutas verdadeiras não fossem admitidas em tribunal, mas agora quer que o mesmo tribunal aprecie uma escuta inventada por mim. Realmente, tinha graça que as escutas verdadeiras fossem nulas em tribunal mas as inventadas fossem aceites. Querem ver que a única pessoa condenada por causa de uma escuta relativa ao Apito Dourado ainda vou ser eu?

Diz Pinto da Costa que faltei ao respeito a um clube centenário. O que nem é muito rigoroso: o FCP é um clube bicentenário, já que festejou um centenário em 1993 e outro em 2006. Parece que o mal é eu ter falado na versão da Carolina Salgado. Portanto, se eu me inspirasse antes na versão oficial de Pinto da Costa e de Augusto Duarte, estaria tudo bem.
Para quem não se lembra, essa versão é a seguinte: dois dias antes de um jogo importante para as aspirações do Porto, Pinto da Costa recebe em casa o árbitro que o vai apitar, Augusto Duarte. Diz que a visita é inesperada. As escutas desmentem-no. Diz que a visita não se cruzou com Carolina Salgado.
A visita desmente-o. Árbitro pede a Pinto da Costa favor relativo a seu pai, uma vez que Pinto da Costa tem influência sobre o presidente do Conselho de Arbitragem, superior hierárquico do pai (membro do Conselho de Arbitragem, entretanto condenado noutro processo de corrupção desportiva).
Dois dias depois, o árbitro erra a favor do Porto, não expulsando um jogador aos 15 minutos de jogo. O Porto acaba por se sagrar campeão na jornada seguinte, podendo descansar jogadores para a meia-final da Champions. A justiça desportiva condena o Porto. O Porto não recorre. De facto, esta versão é insuspeita. Só não se sabe é se Pinto da Costa chegou a fazer o tal favor ao árbitro.

Se o processo avançar, fico então à espera que alguém me avise com antecedência, para eu me pisgar para a Galiza. Parece que é assim que se faz nestes casos. No fim, enviarei a conta dos advogados para o FCP. Pode ser que paguem por engano, como pagaram a viagem ao Brasil de José Amorim e família. Aliás, árbitro Carlos Calheiros e família.
Até agora, só por ter trocado alguns mails com os meus advogados, já gastei serviços jurídicos no valor de 2 árbitros e meio. Em preços actuais, não os da tabela antiga, do Juiz Mortágua. Sobre o que disse nestas crónicas, cá estarei para dar a cara. Como o guarda-redes da União de Leiria.

Também Pode Gostar

Blog Widget by LinkWithin