segunda-feira, 31 de maio de 2010

Rui Costa brilha com dois golos



O director desportivo do Benfica, Rui Costa, marcou dois golos num jogo de beneficência entre antigas glórias do Real Madrid e do AC Milan, ganho hoje pelos "merengues" (4-3), no qual Figo fez uma assistência para golo de Butrageño.
As receitas do jogo vão ser canalizadas para um projecto de investigação sobre as causas de morte súbita entre os desportistas, o qual está a ser conduzido pelo Hospital Clínico San Carlos, em Madrid.


Resumo do Jogo AQUI




sábado, 29 de maio de 2010

Crónicas Ricardo Araújo Pereira

‘I gotta feeling’ que a Selecção não desperta ‘feelings’
 
Junto a minha voz à daqueles que se indignam por o hino oficioso da Selecção não ser uma canção portuguesa. Não por patriotismo, mas por coerência com a realidade: creio que a música mais apropriada para este nosso conjunto seria um fado. Antigamente, todas as janelas do País tinham de ostentar uma bandeira portuguesa, mesmo que tivesse pagodes no lugar de castelos. Agora, ninguém vai aos chineses comprar uma bandeira nem que tenha sido bordada à mão pela padeira de Aljubarrota e tingida com sangue de D. Afonso Henriques.
A verdade é que há sacas de batatas mais entusiasmantes do que Carlos Queiroz. Mais facilmente um brasileiro nos faz sentir portugueses do que ele. E, em certa medida, devemos estar-lhe gratos por isso. Com Scolari, o povo português andaria agora entretido a bufar nas vuvuzelas até ficar com as beiças em carne viva. Estaríamos a viver tempos insuportáveis. Elefantes viriam da Índia atraídos pelo barulho, julgando ter ouvido o grito de acasalamento de fêmeas gigantes, e procurariam fazer criação com os portugueses mais volumosos que encontrassem. Com Queiroz, a população da Covilhã em peso organiza-se para lhe comunicar que gostaria de o ver com uma vuvuzela, mas a sair do orifício errado. Compreende-se: por exemplo, Scolari tentou bater num estrangeiro, o que sempre galvaniza o bom povo. A única vez que Queiroz esteve tentado a dar uns bananos, escolheu um português. Isso tem sido uma espécie de imagem de marca: como se tem visto nos jogos, esta selecção não tem agressividade nenhuma frente aos estrangeiros.

Ora até que enfim que José Mourinho tem, em Portugal, o reconhecimento que lhe é devido. Não sei se ainda se lembram mas, há uns anos, alguns dos que agora rejubilam com a façanha do treinador português e só lhe vêem virtudes estavam a ameaçá-lo de morte. Um vice-presidente do clube ao serviço do qual ele ganhou a sua primeira Liga dos Campeões foi ao seu quarto na véspera da final passar-lhe o telefone, para que ele pudesse ouvir de viva voz uma mão cheia de insultos e ameaças. Parece que, desta vez, tal não sucedeu. Parabéns a José Mourinho pela sua segunda Taça dos Campeões, e a primeira que ele teve vontade de festejar. Sentiu-se que ele prefere assim.

“Nós vamos a partir de hoje aqui solenemente dizer-lhe (…) que nós queremos este ano dedicar a vitória do campeonato a si. A si, que vai ser campeão”.
Pinto da Costa
À conversa com ma fotografia de José Maria Pedroto
7 de Janeiro de 2010

“Eu não sou prometedor de títulos nem de nada, que não uso esse tipo de conversa”.
Pinto da Costa
27 de Maio de 2010

Este ano não tem sido fácil para quem já foi treinador do Porto. José Maria Pedroto, ao contrário do prometido, não ganhou o título deste ano, e Jesualdo Ferreira já sabe que não ganha o do próximo. Na origem de ambas as desfeitas está Pinto da Costa. Diz-se que o desnorte tem a ver com a má época do Porto, mas deve reconhecer-se que não foi tão desastrosa como se tem dito. Por exemplo, é mentira que os jogadores do Porto não vão disputar a Liga dos Campeões na próxima temporada. O Rentería, em princípio, vai.
Ricardo Araújo Pereira, 29 de Maio de 2010 in Jornal A Bola

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Crónicas Leonor Pinhão


E longe foi o agouro

No verão passado, três dos jogadores que não serviam para o Real Madrid foram convidados a ir-se embora e mandados para outras paragens. Os holandeses Robben e Sneijder foram parar, respectivamente, ao Bayern de Munique e ao Inter de Milão e bem os vimos, aos dois, no sábado, a pisar o relvado do Estádio Santiago Bernabéu, jogando a final da Liga dos Campeões, essa mesma final que o Real Madrid tanto queria jogar na sua própria casa e a que não conseguiu aceder.
Sneijder, que não servia para o Real, venceu ao serviço do Inter o campeonato de Itália, a Taça de Itália e a Liga dos Campeões. Robben, que não prestava para o Real, venceu pelo Bayern o campeonato da Alemanha, a Taça da Alemanha e foi vice-campeão europeu. O terceiro jogador de que o Real Madrid se desfez, no Verão passado, foi Javi Garcia que teve como paragem o Estádio da Luz. Bendita a hora!
Javi García foi logo campeão em Portugal e ainda venceu uma Taça da Liga. E entre os sectores intelectuais do Benfica há quem o considere como o mais decisivo, o mais influente dos jogadores que vieram contribuir para a brilhante conquista do título nacional.
Ou seja, os dispensados do Real Madrid fizeram a felicidade de outros emblemas, não menos históricos e ambiciosos, enquanto os adeptos merengues se limitaram a contemplar o brilho fantasioso das suas inúmeras estrelas sem nunca terem contemplado o brilho concreto de nenhum troféu, de nenhuma tacazinha, nem sequer de uma salva de prata. E é destes brilhos concretos que vive o futebol e que sobrevive quem faz do futebol profissão ao mais alto nível.
Como José Mourinho, naturalmente. Incrível trabalho e merecida proeza de transformar um grupo de veteranos num grupo de campeões europeus.
Enganou-se quem agoirou durante seis anos que Mourinho nunca mais voltaria a ser campeão europeu.
Que engano delicioso.
Em Toronto, no nada amigável jogo com o Panathinaikos, Moreira terá feito o seu último jogo com a camisola do Benfica e assinou uma exibição de alto nível, conta quem viu.

Por outro lado, conta quem viu a entrevista do treinador do Benfica no programa televisivo Trio de Ataque, Quim não estará nos planos de Jorge Jesus e já lhe terá sido sugerido que esteja à vontade para procurar outro clube.
Aparentemente, conta quem adivinha, o Benfica continua a procurar no mercado estrangeiro um guarda-redes cujos méritos indiscutíveis lhe garantam a titularidade.
A baliza do Benfica continua, portanto, a ser um tema em discussão, o que não é bom nem para o Benfica nem para os seus guarda-redes.
No sábado vimos em acção no palco de estrelas de Chamartín um dos guarda-redes que não serviu para o Benfica, Hans-Jorg Butt, servir perfeitamente para o Bayern de Munique ganhar o campeonato alemão e chegar à final da Liga dos Campeões. E, de acordo com a imprensa do seu país, Butt é o mais sério candidato a ser o guarda-redes titular da Alemanha no próximo Mundial. Mas para o Benfica não serviu, o que dá que pensar.
É verdade que Butt também teve a pouca sorte de chegar ao Benfica num momento em que o Benfica não tinha sorte nenhuma, em que nada saía bem. Até parecia bruxedo. O guarda-redes alemão, por exemplo, chegou à Luz com uma folha de serviço impressionante e rara na sua posição. Ao serviço do Hamburgo e do Bayern Leverkussen, Butt tinha marcado um total de 28 golos através de pontapés de grande penalidade, arte em que era superiormente certeiro.
Camacho, que apostou em Quim para o campeonato, confiou a Butt a baliza do Benfica para a Taça da Liga. Num desempate com o Estrela da Amadora, bem no início da competição, Butt foi chamado para converter um dos cinco pontapés e ele, que nunca falhara, falhou ali mesmo, nem sequer conseguindo acertar com a bola na baliza.
Os adeptos torceram o nariz e passaram a olhar para o alemão de soslaio. «Olha-me este…» E, por tão pouca coisa, foi o fim de Butt no Benfica.
Este ano, para o campeonato, Óscar Cardoso falhou quatro grandes penalidades, deixou os benfiquistas à beira de quatro ataques de nervos, mas nunca terá sentido sinais de desconfiança vindos das bancadas, onde se senta o público, ou vindos do banco, onde raramente se senta o treinador, visto que passa a maior parte do tempo em pé.
É precisamente isto que se tem de fazer com o guarda-redes. Seja ele quem for.

Acabou o campeonato e acabou-se a clubite. Agora os adeptos olham para a Selecção como se fosse mesmo a tal «equipa de todos nós». Produzem-se sensações curiosas. Depois do tristonho Portugal-Cabo Verde, nulo no resultado e nulo no espectáculo, ouvi, pela primeira vez, alguns amigos meus de outros clubes, rivais do meu, dizer com um ar plenamente convencido: «Este Fábio Coentrão é mesmo muito bom jogador!»
Durante o campeonato, nunca tinham dado por isso. É a cegueira clubista, de que eles e nós, enfim, todos padecemos.
A Pior notícia do jogo com os cabo-verdianos foi a lesão de Tiago que levanta dúvidas sobre as suas capacidades de estar na África do Sul em pleno. Mas se Tiago, longe vá o agouro, não chegar a embarcar, qual será o jogador que Carlos Queiroz irá escolher para o substituir.
Ontem, ouvi um curioso diálogo de café entre um benfiquista e um sportinguista versando, precisamente, este tema:
- Cá para mim, levava o Rúben Amorim – dizia com toda a convicção o benfiquista.
- Cá para mim, levava o João Moutinho – ripostava com toda a convicção o sportinguista.
- O João Moutinho? – escandalizou-se logo o benfiquista.
- Qual é o problema? – foi a resposta que ouviu do sportinguista.
- Só se o Queiroz quiser reeditar na África do Sul aquele triângulo de ouro do meio campo do Sporting, Veloso, Pedro Mendes e Moutinho, que conseguiu ficar a 28 pontos do campeão.
Pronto, a conversa azedou imediatamente. É a cegueira clubista a triunfar sobre o espírito patriótico.

A entrevista de Hermínio Loureiro, presidente demissionário da Liga de Clubes, ao semanário Sol é uma peça exemplar para quem, um dia, queira escrever a História do último quarto de século do futebol português. Loureiro, que conta muita coisa, diz, no entanto, que é «impublicável» o teor do telefonema que recebeu de Pinto da Costa a anunciar-lhe a decisão do Conselho de Justiça da FPF sobre a redução dos castigos a Hulk e a Sapunaru.
E deve ter razão nas suas cautelas até porque, ao longo da entrevista, limita-se a relatar factos – a rábula da entrega da Taça é do mais elucidativo sobre a invenção de focos de conflito (lamentavelmente, há quem chame a isto uma arte) - , sem precisar de enveredar por acusações directas e sonantes. O mais longe que Hermínio Loureiro foi, neste campo, ficou-se pela «falta de educação» evidente.
Quanto ao teor do telefonema, quem sabe… talvez um dia… no YouTube.


Leonor Pinhão, 27 de Maio in Jornal A Bola

Benfica brilha num símbolo de 80 metros pintado na Serra



Quem chega à vila da Malveira não fica indiferente: na Serra do Cabeço, ao longe, um enorme símbolo do Benfica dá as boas-vindas em tons orgulhosos. 

São 83 metros de altura, por 80 de largura, num enorme expositor de brio pelo título nacional. 

O trabalho foi efectuado por vinte voluntários, que durante quatro dias e meio trataram de meter as mãos à obra para concluir a obra. 

Para os adeptos do clube da Luz, agora é tratado por Monte Benfica.




quinta-feira, 27 de maio de 2010

Jesualdo vai e os Túneis ficam...


“Ao fim de quatro anos em comum, entendemos que necessitávamos de alterar o modelo do nosso futebol e propusemos ao mister Jesualdo Ferreira a troca do cargo de treinador da equipa principal pelo de director técnico de todo o futebol do FC Porto. No entanto, e após uma conversa franca, Jesualdo transmitiu-me que deseja treinar mais dois ou três anos..."

...."Obrigado pela competência!"
 
Pinto da Costa

 
Cinismo e Hipocrisia no seu estado puro...



quarta-feira, 26 de maio de 2010

Jorge Jesus confirma saída de Quim do Benfica


“O Quim vai deixar o Benfica. O Júlio César tem contrato, o Quim terminou o dele, esteve sempre à altura das decisões, mas como o Benfica vai buscar um guarda-redes, o Quim já sabe o futuro”, disse Jorge Jesus no Programa da RTPN Trio de Ataque

Com 34 anos, o guarda-redes chegou à Luz em 2004, proveniente do Sp. Braga e tem resistido à entrada de concorrentes, acabando sempre por se afirmar como titular indiscutível.

Ao serviço dos "encarnados", Quim conquistou dois campeonatos (2005 e 2010), para além de duas Taças da Liga (2009 e 2010).

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Di Maria marca pela Argentina



e deixa Maradona Maravilhado...!

Fábio Coentrão no onze contra Cabo Verde


Fábio Coentrão será titular no primeiro encontro particular da Selecção portuguesa desde que está a preparar o Mundial-2010. Carlos Queiroz anunciou o «onze» titular para defrontar Cabo Verde:

Eduardo na baliza; Paulo Ferreira, Bruno Alves, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão constituem o quarteto defensivo; Deco, Pedro Mendes e Miguel Veloso no sector intermediário; enquanto Cristiano Ronaldo e Nani estarão nas alas para apoiar o ponta-de-lança Liedson.

Partida agendada para as 19.30 horas, no Complexo Desportivo da Covilhã com transmissão na TVI.

sábado, 22 de maio de 2010

"GRANDE INTER, ENORME MOURINHO: È TRIPLETTA"


O Inter derrotou o Bayern Munique na final da Liga dos Campeões, com José Mourinho a comandar a equipa italiana. O português tornou-se o terceiro a conquistar a "Champions" por duas equipas diferentes, à semelhança de ernst Happel e Ottmar Hitzfeld.

Mourinho, desde que começou a carreira de treinador, ao assumir o comando técnico do Benfica há 10 anos, já venceu 17 títulos, quase dois por ano.

 Os Golos aqui: e

Crónicas Ricardo Araújo Pereira


Ergo a minha taça à festa da Taça
 
Creio que, este ano, a euforia injustificada de pré-época dos benfiquistas encontra justo contraponto na depressão justificada de pós-época dos portistas. Os festejos da vitória na Taça de Portugal foram discretos, como se o facto de o plantel mais caro da história do futebol português ter conseguido bater tangencialmente uma equipa acabadinha de ser despromovida da Liga de Honra à II Divisão não merecesse ser celebrado com estardalhaço. Vá lá uma pessoa compreender os humores dos adeptos. Sendo embora um troféu que, não fosse o Diabo tecê-las, Pinto da Costa optou por não prometer a qualquer alma d'aquém ou d'além túmulo, trata-se de uma taça importante. Ainda assim, a esmagadora maioria dos portistas não teve interesse em vitoriar os heróis que tinham acabado de se superiorizar pela margem mínima a Bamba, Lameirão e seus pares. Já vi festas de aniversário com mais convivas do que a festa da Taça. E funerais um pouco mais animados.   
Os balanços de fim de época são sempre inevitavelmente injustos, e temo que todas as apreciações finais da magnífica época do Sporting tenham esquecido um jogador que merece referência, até por ser, creio, aquele que tinha o currículo mais rico do plantel, em termos de conquistas: Angulo. A contratação do jogador insere-se numa bonita tradição sportinguista que deve ser recordada. Angulo é um digno sucessor daquele que foi, para mim, o melhor futebolista de sempre do Sporting, e talvez o que mais títulos conquistou na carreira: Frank Rijkaard, que, como certamente se lembram, brilhou de leão ao peito durante cerca de três horas e meia em 1987. É possível construir um onze de sonho só com profissionais que representaram o Sporting durante menos de uma semana. Rijkaard e Angulo são titulares indiscutíveis, obviamente. Vicente Cantatore teria de ser o treinador. E Sá Pinto o director desportivo.

Rui Moreira, evidentemente melindrado por, como ele próprio diz, eu ousar fazer — imagine-se! — «copy/paste fora de contexto» das suas doutas opiniões, parece estar convencido de que me ofende quando diz que os anúncios do MEO não têm graça. Imagino que os senhores da agência de publicidade, que são quem realmente concebe e redige os anúncios, tenham passado a dormir com mais dificuldade desde que Rui Moreira resolveu presentear os leitores d' A BOLA com as suas pertinentes críticas de publicidade, mas eu não tenho interesse nem mandato para os defender. Por outro lado, devo agradecer as palavras simpáticas que dedicou à rábula em que satirizávamos o discurso repolhudo de Manuel Machado. Se me lembro do sketch, Rui? Claro que lembro. Esse fomos mesmo nós que escrevemos. E não foi difícil: limitámo-nos a fazer copy/paste fora de contexto de umas declarações meio bacocas do antigo treinador do Nacional. É um estratagema humorístico ao qual continuo a recorrer amiúde. Resulta tanto melhor quanto mais bacocas forem as declarações citadas. Este ano tenho tido muita sorte com a colheita, sabe?

Ricardo Araújo Pereira, 22 de Maio in Jornal A Bola


sexta-feira, 21 de maio de 2010

Crónicas Leonor Pinhão

O inimigo de Pinto da Costa não é o túnel, é o YouTube

Talvez tenha havido algum exagero nos festejos benfiquistas pela conquista do 32.º campeonato da história do clube. Na verdade, saiu muita gente para a rua a fazer barulho e a dançar. Também é provável que tenha havido algum exagero na cobertura que as televisões e os jornais deram às comemorações vermelhas. É, no entanto, compreensível porque a imprensa regula-se, entre outras coisas, pelo mercado e quando há multidões em catarse o fenómeno reveste-se de índole sociológica e aumentam, no dia seguinte, as tiragens dos jornais e as audiências televisivas. Aparentemente, trata-se de um contra-senso porque a sociologia nunca foi um bom negócio. A não ser quando o assunto é o Benfica, o que prova a grandeza e a originalidade do clube mais popular do País.
Mas nada disto explica o acabrunhamento, a má disposição, a crispação com que no Jamor foi festejada pelo FC Porto a conquista da Taça de Portugal sobre o Desportivo de Chaves, por 2-1. Muito menos explica a «timidez», no dizer dos repórteres das televisões, de serviço na Avenida dos Aliados, com que «sempre os mesmos seis carros» davam voltas à praça «como acendalhas», a ver se a festa portista pegava. A verdade é que não pegou.
Dificilmente pegaria porque nestas coisas do futebol, para o bem ou para o mal, há sempre uma simbiose entre os jogadores e os adeptos. Uns puxam pelo outros e vice-versa, é assim que a magia funciona. É puro contágio. E é de crer que a má disposição que o capitão Bruno Alves apresentava no final do jogo, respondendo torto aos jornalistas, afirmando que queria ver a sua vida melhorada, tenha contagiado a nação azul e branca e contribuído para acabrunhar aquela hora que devia ser de alegria e de festa.
Como se não bastasse a neura de Bruno Alves, houve ainda que suportar a crispação de Jesualdo Ferreira, saindo a meio da conferência de imprensa, acusando os jornalistas de maldades que lhes estão vedadas, por não-inerência de cargo. Perante isto, qual é a vontade que uma pessoa tem de sair à rua para fazer barulho e dançar?
No dia seguinte, teve de vir à liça o presidente do clube dar ânimo aos adeptos. E deu mesmo. Garantindo que o slogan do seu novo mandato é «vencer, mas não de qualquer maneira». Explicou-se melhor, para que não fiquem dúvidas entre os adeptos, nem mesmo entre aqueles 2% que não votaram nele: «Não é vencer em qualquer túnel, é vencer à FC Porto». Compreenderam?
O prato principal, ou seja, o próximo campeonato ainda vem longe mas já se promete a fruta. Até à hora da sobremesa, o presidente do FC Porto vai continuar a atacar os seus inimigos. Mas comete um erro crasso.
É que o maior inimigo de Pinto da Costa não é o «túnel».
O maior inimigo do presidente do FC Porto é o YouTube.

Graças a uma série de imprevistos, e com o devido e sereníssimo respeito, a visita do papa a Portugal redundou na mais eloquente súmula do que foi a temporada futebolística nacional e do que são as características mais marcantes das personalidades e das competências (e incompetências) congénitas às lideranças dos grandes emblemas do futebol nacional.
Por exemplo, em Lisboa, os três grandes — Benfica, Sporting e Belenenses —, respondendo ao convite do Patriarcado da capital para se fazerem representar na cerimónia do Terreiro do Paço, exibiram no decorrer de uma conferência de imprensa conjunta as camisolas oficiais das suas cores que pretendiam oferecer ao líder máximo dos católicos.
Quando chegou o momento tão aguardado verificou-se uma espécie de breve mas amplamente descritivo resumo, no género de missa campal, daquilo que foi a última época dos vermelhos da Luz, dos verdes da Alvaláxia e dos azuis do Restelo.
Tal como ficou expresso na tabela classificativa do campeonato de 2009/2010, o Benfica foi o primeiro também no Terreiro do Paço a entregar a sua oferenda. E foi indisfarçável, porque se ouviu muito bem até na televisão, o regozijo da multidão quando Bento XVI ergueu a camisola dos campeões nacionais.
Seguiu-se o Sporting que vem de uma época para esquecer. Nada mais natural, portanto, que José Eduardo Bettencourt se tivesse esquecido de tomar bem conta da camisola do Sporting que ele próprio fez questão de transportar em mão até à grande praça à beira do Tejo. A comunicação social explicou a situação em poucas palavras: «Acontece que a camisola desapareceu, presume-se que furtada. O presidente do Sporting ficou inconsolável e teve de improvisar.»
E tal como improvisou mudando de Paulo Bento para Carlos Carvalhal e de Carlos Carvalhal para Paulo Sérgio, Bettencourt, mudando de camisola como quem muda de treinador, improvisou ali mesmo, já a poucos metros de distância de Sua Santidade, usando como prenda à última hora o pólo verde com o emblema dos leões que trazia vestido o jovem Renato Neto, um futebolista dos juniores que o acompanhava na embaixada ao papa.
Digam lá se este episódio não exemplifica na perfeição aquilo que foi a última época do Sporting e o carisma do seu presidente que, para desgosto dos humoristas portugueses, anunciou anteontem que não vai fazer mais declarações públicas até ao fecho do mercado de Verão.
O Belenenses, que foi o penúltimo da tabela classificativa, foi o último a entregar as suas oferendas a Bento XVI. Enfim, devia ter sido o último, mas nem isso foi «uma vez que os seus representantes chegaram atrasados e o protocolo não autorizou a entrega», conforme se pôde ler nos jornais no dia seguinte. Haverá ilustração mais esclarecedora do que foi a época de um emblema histórico que teve a infelicidade de descer de Divisão?
Depois de Lisboa, o papa foi ao Porto. E no Porto, tal como em Lisboa, a organização da cerimónia primou pela responsabilidade dos enfeites e da iconografia do espaço público — em Lisboa, o Terreiro do Paço, no Porto, a Avenida dos Aliados —, numa uniformidade cromática discreta e pensada para que as cerimónias não descambassem para o arraial. No tom de crispação corrente em todos os ofícios da época, o FC Porto reagiu indignadamente em comunicado ao facto de «os fiscais da câmara» terem mandado remover «um pendão» que cobria parte da fachada da antiga sede do clube na Avenida dos Aliados, saudando Sua Santidade em nome do clube.
Trata-se, no fundo, de uma questão cívica difícil de entranhar. O Porto é dos portuenses, não é do FC Porto. Passa-se exactamente a mesma coisa com a Avenida dos Aliados, que é a sala de visitas da cidade e dos cidadãos e não é propriedade de nenhum emblema futebolístico. Mesmo quando recebe um papa de paramentos vermelhos.

Garante o diário espanhol As que José Mourinho colocou como condição para treinar o Real Madrid a contratação de David Luiz, Di María e Fábio Coentrão, três jogadores «que foram determinantes» para a conquista do título pelo Benfica.
Se der ouvidos à sapiência de Pinto da Costa e se quiser ser campeão em Espanha, Mourinho não tem nada que levar jogadores do Benfica. Bastava-lhe levar o «túnel»da Luz mais o «túnel» de Braga. E mais dois stewards e mais o dr. Ricardo Costa, presidente da Comissão de Disciplina da Liga.
Jogadores «determinantes»? Francamente, onde é que viu uma coisa dessas? Nem os jornalistas espanhóis do As nem José Mourinho percebem minimamente de futebol. 


Leonor Pinhão, 20 de Maio in Jornal A Bola

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Benfica goleia New England Revolution (4-0)


O Benfica defrontou esta madrugada o New England Revolution no Gillette Stadium, em Foxborough, primeiro jogo da digressão que os “encarnados” estão a realizar pelos Estados Unidos e Canadá.

Felipe Menezes, Sidnei, César Peixoto e Kardec marcaram os golos.



No «top-ten» das melhores assistências na Europa


O Benfica terminou a época 2009/2010 no «top-10» dos clubes com mais adeptos no seu estádio.

Foram 50.033 espectadores presentes em média em cada jogo do Benfica realizado ao longo da época no Estádio da Luz, registo que o coloca na 10.ª posição do ranking europeu.

O Barcelona, com média de 78.000 espectadores no Camp Nou, lidera a lista, seguido de Borussia Dortmund (77.248), Real Madrid (75.133), Manchester United (74.864) e Bayern Munique (69.000).

O FC Porto aparece no 43.º posto, com 33.464 espectadores, enquanto o Sporting é apenas 63.º com 24.606, isto entre 544 clubes das 36 ligas principais do Velho Continente.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

A melhor experiência da carreira de Saviola



Saviola viveu nos últimos dias uma das «experiências mais marcantes» da sua carreira, pois nem na fervorosa Argentina viu um mar de gente tão imenso em celebração.

«Vi 40 a 50 mil pessoas em Buenos Aires quando fui campeão pelo River Plate, mas nada como o que aconteceu no centro de Lisboa. Falou-se em 200 mil e acredito, pois olhava para longe e continuava a ver gente. Incrível!»
 
«Depois de ter estado num Campeonato do Mundo e ouvir dentro do campo o hino da Argentina, com todo um país a olhar para nós, os momentos de festa que vivi no Benfica foi a melhor experiência da minha carreira. Nunca vi tanto fervor e paixão por uma equipa.»
 
 
 

terça-feira, 18 de maio de 2010

O Azul da TMN no Manto Sagrado...




Não é um protesto contra a TMN mas às cores desta que destoam completamente no Manto Sagrado... Não deve ser a camisola a adaptar-se a um patrocínio mas sim ao contrário. 

E o que pensará o Director de Marketing do Sport Lisboa e Benfica?
 Vai aprovar esta conjugação de cores?

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Cartoon dos Campeões


Luisão, David Luiz, Cardoso, Quim, Ramires, Javi Garcia, César Peixoto, Jorge Jesus, Fábio Coentrão, Nuno Gomes, Di Maria, Maxi Pereira, Saviola, Rúben Amorim, Carlos Martins e Aimar.

À LEI DA BOLA - Pedro Ribeiro

O Rolo Compressor Campeão...!

domingo, 16 de maio de 2010

Entrevista de Ricardo Araújo Pereira à BENFICA TV



Ricardo Araújo Pereira foi à Benfica TV participar no programa Debate, mas antes deu uma entrevista exclusiva onde aborda o Título conquista pelo Benfica (2009/2010)

sábado, 15 de maio de 2010

Crónicas Ricardo Araújo Pereira

Surpresa! Benfica Campeão
Recordar é viver:

«A contratação do Saviola é igual à do Aimar no ano passado. Se fossem mesmo bons, se estivessem na parte boa da carreira, não vinham para o Benfica. Quero descobrir novos talentos, jogadores que possam dar tudo pelo Benfica e não acabar a carreira e passar férias. (…) Com estes jogadores, o Benfica vai fazer uma grande figura no Torneio do Guadiana».

Bruno Carvalho, candidato à presidência do Benfica, 27 de Junho de 2009.


«A aposta em Saviola faz lembrar a do ano anterior em Aimar: jogadores que já tiveram nome e que por isso são pagos caro e com elevadíssimos ordenados, mas que há vários anos não passam do estatuto de suplentes de luxo em Espanha.»

Miguel Sousa Tavares, 7 de Julho de 2009.


«(…) não vejo ninguém [no plantel do Benfica], nem o Luisão, que desperte o interesse de um clube disposto a pagar dinheiro que se veja (…). Eu, pessoalmente, não quereria, para o plantel do FC Porto, um só dos que constituem o do Benfica. Um só.»

Miguel Sousa Tavares, 30 de Junho de 2009, referindo-se ao plantel do Benfica da época transacta, que incluía nomes como Di Maria, David Luiz ou Cardozo, para dar apenas três exemplos de jogadores sem qualquer valor de mercado.


«O Benfica, quando bem pressionado no meio-campo, torna-se frágil».


António Tavares-Teles, 23 de Setembro de 2009.


«Adivinho, pois, um Benfica crescentemente impaciente, para dentro e para fora, a protestar contra tudo e todos quando as coisas não lhe correrem de feição e convencido, como de costume, que lhe basta alinhar vedetas como Aimar ou Saviola ou outras tidas como tais, para que o mundo lhe caia aos pés e todos se disponham a prestar-lhe vassalagem.»

Miguel Sousa Tavares, 30 de Junho de 2009.


«[Jorge Jesus] (…) estreou-se no comando dos encarnados com um empate frente à modesta equipa do Sion. (…) Relevante não foi (…) o empate frente aos suíços, mas as declarações de Jorge Jesus, após o jogo. Disse ele que vai ser muito difícil «travar este Benfica». Porquê, é que não entendi: por que razão uma equipa que, mesmo com todas as desculpas e atenuantes, tinha acabado de ser travada pelo Sion, há-de ser muito difícil de travar… por um FC Porto, por exemplo?»

Miguel Sousa Tavares, 14 de Julho de 2009. Quem nos dera que o mundo respondesse a todas as nossas inquietações com a mesma eloquência com que se encarregou de responder a esta.


«O Benfica em grande euforia. O novo treinador está satisfeitíssimo e confiante, e garante que ninguém será, doravante, capaz de travar a sua equipa. Os adeptos rejubilam com as boas novas, os jornalistas excitam-se com as exibições e encantam-se com Jesus e com a sua prosápia. Tudo isto é habitual e vulgar. Afinal, é preciso vender jornais, há seis milhões de almas que desesperam por boas notícias e, mais não seja para sairmos da crise, não se lhes pode retirar a esperança durante os meses de verão.»

Rui Moreira, 17 de Julho de 2009.


«(…) há, no mínimo, algum exagero relativamente às conquistas encarnadas.

Uma nota para o Sporting, que tem sido muito desvalorizado mas conseguiu, para já, o seu primeiro objectivo a caminho da Liga dos Campeões. Paulo Bento tem sabido concorrer com menos argumentos e, por isso, tenho a certeza que a sua equipa estará, certamente também, na corrida ao título nacional.»

Rui Moreira, 7 de Agosto de 2009. É incrível que, com esta capacidade para analisar o fenómeno futebolístico, Rui Moreira tenha o seu espaço reduzido a um programa de televisão e a uma coluna de jornal. Para quando uma rubrica na rádio?


«(…) a equipa [do Benfica] parece acusar o esforço prematuro do princípio da época».

Rui Moreira, 18 de Dezembro de 2009.

«Durante muito tempo, achei (…) que, com túnel ou sem túnel, o Benfica merecia ganhar este campeonato, porque era a equipa que melhor jogava (…). Mas a verdade é que um campeonato não são 15, nem 20, nem 25 jornadas: são 30 e o saldo final deve-se fazer às 30. E, no último terço do campeonato, desapareceu aquele Benfica que jogava mais e melhor.»

Miguel Sousa Tavares, 11 de Maio de 2010.


«(…) para grande irritação de alguns portistas, reafirmo, uma vez mais, os elogios que tenho feito, desde o início da época, ao futebol jogado pelo Benfica.»


Miguel Sousa Tavares, 23 de Março de 2010. Ou seja, já durante o último terço do campeonato.

Arquive-se!

P.S.: Algumas estatísticas curiosas deste campeonato: Weldon termina a prova com cinco golos marcados, exactamente o mesmo número de golos obtidos pelo super-hiper-ultra-extraordinário Givanildo, embora o super-hiper-ultra-extraordinário Givanildo tenha jogado mais 1091 minutos que Weldon, ou seja, o equivalente a um pouco mais de 12 jogos.

Nas jornadas em que pôde contar com o super-hiper-ultra-extraordinário Givanildo, o Porto perdeu três jogos e empatou dois. No período em que o super-hiper-ultra-extraordinário Givanildo esteve castigado só por ter participado num espancamento, o Porto perdeu apenas um jogo e empatou três. Em resumo, o Porto com Givanildo perdeu 13 pontos; sem Givanildo perdeu apenas 9. Maldita Comissão Disciplinar da Liga!

Jorge Jesus acaba o campeonato na dupla qualidade de campeão e vice-campeão, como autor material do título do Benfica e autor moral do segundo lugar do Braga, clube no qual foi o último treinador a vencer um título, a Taça Intertoto.

Miguel Sousa Tavares, em quem as exibições da equipa de futebol do Porto têm feito despertar um profundo amor pelo ténis, resumiu muito bem o último fim-de-semana desportivo. Fez referência à boa prestação de Frederico Gil no Estoril Open e anunciou a atribuição da Bola de Prata Imaginária a Falcao — cerimónia que não teve a cobertura noticiosa que merecia: uma vez que MST persiste em chamar Radomel a um desgraçado que se chama Radamel (logo ele, que é tão sensível com os nomes próprios), pela primeira vez na história um jogador que não existe venceu um troféu de fantasia, o que coloca dificuldades filosóficas extremamente interessantes. Mas, muito provavelmente por modéstia, MST não incluiu na lista de vitórias do fim-de-semana o troféu que o Porto ganhou: a Taça Rennie. Do ponto de vista digestivo é irónico que um campeonato ganho sem recurso à indigesta mistura de café com leite, rebuçadinhos e fruta tenha, ainda assim, causado tanta azia.

Ricardo Araújo Pereira, 15 de Maio de 2010 in Jornal A Bola   

quinta-feira, 13 de maio de 2010

JESUS MOBILE

Clicar para Ampliar

Para ser perfeito, só faltava que os gorilas a fazer a segurança à volta do Jesus-Móvel fossem o Hulque, o Sapunaru, o Vandinho, o Mossoró, o Jorge Sousa e o Olegário Aventurança, pelo menos!

David Luiz assume amor pelo Glorioso


Para David Luiz a mística Benfiquista já não é nenhum mistério ... A sua paixão pelo Benfica não é novidade para quem acompanha a sua postura dentro e fora de campo. Luisão revelou que gostava de ver David Luiz de águia ao peito quando regressar da África do Sul.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Bento XVI recebeu o Manto Sagrado


Rui Costa, Carlos Móia e Nuno Gomes preparam-se para entregar a Bento XVI uma águia e uma camisola do Benfica.
O verdadeiro Manto Sagrado...

O Vídeo AQUI

Papa já está em Portugal

O avião da Alitalia que transportou Bento XVI para Portugal aterrou no aeroporto de Figo Maduro às 10h57.

 Centenas de pessoas aplaudiram o Papa nas ruas de Lisboa, no percurso que fez entre o aeroporto de Lisboa e a Nunciatura do Vaticano.

É um clima de euforia que se continua a viver em Lisboa...

O Mundo é do BENFICA

 
Site que reúne imagens da festa (transcontinental) da família Benfiquista: AQUI

segunda-feira, 10 de maio de 2010

O que os jogadores do Benfica viram antes de serem CAMPEÕES!



"Vídeo motivação com o resumo da época e uma mensagem especial exclusiva à equipa do Benfica, visto no balneário 5 minutos antes do jogo Benfica x Olhanense. 
A Mensagem serviu também para os restantes jogos.
O Benfica é Campeão Nacional 2009/2010 e, muito mais que um vídeo, a sua motivação veio das veias de cada adepto que gritou por nós. BENFICA!"
Guilherme Cabral

Quem não se arrepia ao ver isto até ao fim?


E Jesus disse:



"...ao 8.º dia após o dragão jogarás, marcarás, vencerás e serás campeão...!"


ANÚNCIO FANTÁSTICO BENFICA TV

BENFICA CAMPEÃO! UM DIA PERFEITO....










Ponto alto na noite de festa «encarnada» pela conquista do 32.º título de campeão nacional. O autocarro panorâmico com todo o plantel na rotunda do Marquês de Pombal, em plena baixa lisboeta, onde cerca de 100 mil adeptos felicitam os novos campeões nacionais.


ISTO É O BENFICA...!

sábado, 8 de maio de 2010

Jesus desceu à terra e disse:

"Vai ser um jogo e vamos ser campeões nesse jogo, no Estádio da Luz,
e vamos mostrar que este campeonato vai ser nosso"

"Temo-lo na mão, mas vamos jogar em casa, perante o nosso público e
vamos, tenho a certeza, fazer uma grande festa"

"Queremos um clima à Benfica. Os ambientes na Luz eram temíveis e, amanhã, mais que nunca, os adeptos têm de ser fervorosos, apaixonados, estarem sempre com a equipa."

Crónicas Ricardo Araújo Pereira


Insultos de consolação
 
A fazer fé nos jornais desportivos, no fim do jogo de domingo passado o presidente do Porto, provavelmente por naquele momento não dispor de isqueiros, viu-se forçado a lançar sobre os elementos da direcção do Benfica presentes no camarote presidencial uma saraivada de insultos. Como sempre acontece quando alguém ligado ao Porto se comporta como um energúmeno, o culpado deste incidente foi, uma vez mais, o Benfica. Os dirigentes benfiquistas sabem perfeitamente que, se querem ser bem recebidos por Pinto da Costa, devem apresentar-se no Dragão com um apito na boca. Augusto Duarte — agraciado, segundo os relatos mais modestos, com um delicioso cafezinho — nunca se queixou das qualidades de Pinto da Costa como anfitrião. O problema só pode ser dos convidados.  Sem querer branquear actos repugnantes — até porque esse pelouro é dos subcomandantes da PSP do Porto — devo dizer que a ira de Pinto da Costa é compreensível. A posição que o Benfica ocupa no campeonato tem dedo do presidente do Porto. É evidente para todos que Jorge Jesus seguiu as indicações que Pinto da Costa deu a Augusto Duarte naquela notável escuta e, desde a primeira jornada, não tem feito outra coisa senão seguir «sempre em frente! Sempre em frente! Sempre em frente!» É muito desagradável quando os outros se aproveitam das nossas ideias.

SEGUNDO a opinião insuspeita e prestigiada de Cruz dos Santos, os amarelos a Di María e Maxi Pereira foram injustos, Fucile devia ter sido expulso ainda na primeira parte, e é discutível que não tenha havido penalties por mão de Hulk e derrube de Álvaro a Maxi. Além disso, de acordo com o mesmo especialista, o Benfica teria sido campeão já no domingo passado se tivesse sido assinalado o fora-de-jogo existente no golo do Braga. É refrescante poder ler as observações de um perito, sobretudo depois de passarmos uma semana a ouvir opiniões de completos leigos em arbitragem, como um Miguel Sousa Tavares, um Rui Moreira, ou um Olegário Benquerença.

APÓS o Benfica-Porto, segundo foi dado como provado, os jogadores do Porto não foram insultados nem agredidos. Houve, no entender da Comissão Disciplinar da Liga, uma provocação: o já célebre e por demais infame enxovalho «vão lá para dentro e voltem lá para cima». Os jogadores do Porto reagiram com o natural e amplamente justificado espancamento dos stewards. Já no Porto-Benfica, Jorge Jesus levou com um isqueiro e não reagiu. Luisão levou com outro isqueiro e não o devolveu. Os dirigentes do Benfica foram insultados e não reagiram. Foi, claro, uma vergonha para todos os benfiquistas. Isto é gente que não sabe estar no futebol.

LINDA e comovente, a homenagem que o tribunal obrigou o Sporting a prestar a Iordanov. Eu bem vi as lágrimas a marejarem os olhos do búlgaro quando José Eduardo Bettencourt, obedecendo à ordem judicial, lhe ofereceu uma lembrança. São sempre emocionantes, estas manifestações de gratidão que os clubes têm para com os seus heróis com o objectivo de evitar punições legais. Um juiz decretou que houvesse decência em Alvalade, e eles não tiveram outro remédio senão acatar a decisão. A lei é dura, mas é a lei.
 Ricardo Araújo Pereira, 8 de Maio in Jornal A Bola

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Ajuda Divina a Jesus


A pedido do próprio Chefe, o Cardeal Joseph Ratzinger, Papa Bento XVI, vai antecipar a sua chegada a Portugal para o próximo domingo, dia 9, para e passo a citar:
 
 "Vou a Lisboa dar uma ajuda ao Glorioso. Não vá o Ex-Super Dragão fazer das suas e os gajos perderem o campeonato. 
Não quero JESUS crucificado outra vez!!!" 




A última bufa antes da proclamação do CAMPEÃO


Nova Diarreia Cerebral... 
Em entrevista ao jornal i Pinto da Costa declara que “Não me posso esquecer que no dia em que o FCP jogou com o Benfica a final da taça da cerveja (Taça da Liga ou Carlsberg Cup), o primeiro-ministro veio desejar publicamente a vitória do Benfica. Naturalmente que ele não tem nada contra o FCP, até porque ele nasceu no Porto, embora se diga que é de Castelo Branco. (…) Agora, veio quase pôr o Benfica novamente no papel de clube do regime. Estou curioso para ver quantos ministros e secretários de Estado vão estar no Estádio da Luz no domingo.” 
Nesta subtil ventosidade anal o Presidente do FCP acabou por revelar memória curta ou falta dela. Não me recordo de o ouvir pronunciar-se sobre a polémica o pedido de justificações de faltas de deputados da Assembleia após deslocação à final da Taça UEFA (Celtic de Glasgow- FC Porto) disputada em Sevilha. Os deputados invocaram "representação do Parlamento Nacional"… 
Segundo o sr. Pinto da Costa, este fim de semana, os ministros estão proibidos de ter clube…

ÉCRANS GIGANTES FORA DO ESTÁDIO



Com a lotação esgotada há vários dias...

Porque não?


Seria fantástico o plantel sair do Estádio com milhares já cá fora...


quinta-feira, 6 de maio de 2010

Campeão Nacional recebe Troféu no Domingo




O troféu destinado ao campeonato nacional vai ser entregue mal se saiba quem é o vencedor da liga 2009/2010. Existem dois exemplares: um estará no Estádio da Luz, onde se vai disputar o Benfica-Rio Ave, e o outro no Estádio da Madeira, onde irá decorrer o Nacional-Sp. Braga.

O troféu é composto por cristal e latão banhado a ouro, pesa 10 quilos e tem 80 cm de altura e 28,1 cm de diâmetro.

A taça "tem a forma de um copo de cerveja em cristal, com as quinas que são o símbolo da marca Sagres e também o formato de uma taça, com a bola de futebol na base", segundo explicou Nuno Pinto Magalhães, assessor da Administração da Sociedade Central de Cervejas.

Fonte: Jornal Record




Como terão passado as Bolas de Golfe...?


"A informação correu de blogue para blogue na semana que antecedeu o clássico FC Porto-Benfica: claques simpatizantes dos dragões tinham adquirido 3.500 bolas de golfe. Para quê?... até que muitas bolas de golfe começaram a andar de mão em mão, no Estádio do Dragão, até uma delas se ter transformado em estrela de conferência de imprensa."
"...qual a utilidade dos “stewards” que tudo ou quase tudo deixam passar nas revistas à entrada dos estádios? Quando alguém voltar a morrer, a polícia levará o assunto a sério. Até lá limitar-se-á a fingir operações de segurança..."
António Varela


Não sei como passaram mas desconfio...

E depois os outros é que são Cagões

Crónica João Gobern

Golf, Isqueiradas e Misérias...

As circunstâncias que rodearam o clássico do Dragão são motivo de orgulho para todos os desportistas nacionais. Ficámos a saber da existência de mais duas secções no FC Porto: uma de golfe, com a particularidade de estar na moda uma variante que dispensa os tacos, o equipamento tradicional e até os "greens"; outra, muito mais certeira, que se dedica à isqueirada, modalidade com todos os condimentos para se tornar um fenómeno de popularidade. Claro que o isqueiro pode ser aperfeiçoado, uma vez que não serve para acender ou alumiar, mas apenas como arma de arremesso.

Percebemos que os respetivos praticantes não gostam de dar a cara, preferindo fazer lançamentos furtivos e assobiando para o lado quando pressentem a proximidade de uma câmara de televisão. Por exemplo: nas imagens da Sport TV viu-se bem o homem que fez de Jorge Jesus o seu alvo particular. Aposto que já passou a gravação para DVD, com o objetivo de a mostrar à família e aos amigos. Pena que as "implacáveis" forças de segurança não tenham tido oportunidade de ver o que o país viu. Percebeu-se, enfim, que não é uma modalidade ao alcance de todos, depois de presenciarmos o "falhanço" de Luisão, depois de alvejado à entrada do túnel. Não dá para aquilo...

Houve outras inoperâncias, dentro e fora de campo. Fora, avulta o momento da declaração categórica de um responsável policial, garantindo não ter havido pedradas ou similares ao autocarro do Benfica, desde o hotel ao estádio. Teve azar: o repórter televisivo de serviço desmentiu-o de imediato, com o argumento irrefutável: "Eu vi...". Olegário Benquerença, apesar do olho de lince que lhe permitiu oferecer por três vezes o cartão amarelo a jogadores do Benfica nos primeiros quinze minutos (dois deles absurdos, os de Di María e Fábio Coentrão, um terceiro duvidoso, o de David Luiz), não conseguiu ver dois ataques (falhados, é certo, mas bem percetíveis) de Raul Meireles a pernas adversárias nem dois penáltis (carga sobre Maxi Pereira, mão na bola em livre marcado por Di María) que seriam claríssimos, noutro estádio e noutro ambiente.

Razão teve Jesualdo Ferreira: a expulsão de Fucile é ridícula. Sobretudo por ser tardia - com igualdade de critérios, teria deixado o terreno de jogo logo aos 17 minutos. Feitas as contas, pouco importa: o FC Porto julga ter salvo a honra, o Benfica conseguiu salvar jogadores suficientes para entrar em campo no próximo domingo. E até os distantes adeptos do Sporting, apesar da oitava derrota e de somarem 42 pontos perdidos para os 45 conquistados, puderam festejar os golos do FC Porto. E talvez o do Braga, mesmo marcado em fora-de-jogo. É bom que todos descubram motivos para celebrar - sempre se evitam as depressões.
João Gobern in Jornal Record

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Inter e Mourinho conquistam Taça de Itália em Roma

 

Mais um Título para Mourinho... 

O Inter conquistou, esta noite, a sexta Taça de Itália do seu historial e a primeira arrecadada por José Mourinho no futebol transalpino, ao derrotar a AS Roma por 1-0, com um golo de Golo de Milito , aos 40'.
Com este triunfo, o treinador português conquista o único troféu que lhe faltava no seu currículo, em Itália. Até esta noite, havia alcançado apenas dois: a Serie A 2008/2009 e a Supertaça 2008.

"In Portogallo, Inghilterra e Italia ho vinto tutti i tornei cui ho partecipato"
José Mourinho



Penalização prevista no Artigo 131º


Luisão foi sancionado com uma multa de 1000 Euros, por comportamento incorrecto para com o público (simulação de arremesso de um isqueiro para a bancada do Dragão)

Uma penalização prevista no Artigo 131º, que prevê uma multa entre os 250 e os 2500 Euros. 

Na final da Taça da Liga, este foi o gesto de Cristian Rodriguez fez para o público.
  Os delegados da Liga neste caso optaram por não aplicar qualquer penalização...
Como se vê, dois pesos e duas medidas dependendo somente da cor das camisolas e por força das circunstâncias envolvidas...






-

Europa Louca por Di Maria

HenriCartoon

 Di Maria é dado como reforço dos maiores clubes do Mundo:


"Real Madrid e Barcelona travam um aceso combate pela contratação de Di María, mas na corrida pelo astro argentino do Benfica encontram-se igualmente Chelsea e Manchester United."

"A imprensa argentina dá como certa a transferência de Angel Di María para o Real Madrid, num negócio em que o Benfica iria receber cerca de 34,5 milhões de euros."

"Di María merece toda a atenção dos responsáveis do Barcelona. Segundo o jornal catalão “Sport”, o clube não avançará para a contratação do extremo do Benfica, mas pretende estar sempre informado sobre a existência de qualquer proposta nos gabinetes da Luz."


"O Manchester City está a preparar uma oferta de 46 milhões de euros pelo extremo argentino do Benfica Angel Di María e 40 milhões de euros pelo defesa brasileiro David Luiz, noticia esta segunda-feira o canal desportivo ESPN."

 "Juventus disposto a dar 30 M€ e Tiago por Di María"



Quem dará mais?

terça-feira, 4 de maio de 2010

No Olimpico de Roma ainda fizeram pior...



Para quem ficou incomodado com os festejos dos adeptos do Sporting aos golos do FC Porto, aqui fica a razão para pedir a Bento XVI uma  Amnistia Sportinguista ...

Em Alvalade houve apenas um ligeiro desfasamento entre o golo comemorado e o golo sofrido...

RAP: «RENOVAVA COM JESUS ATÉ 2050»




Genial...como Sempre

segunda-feira, 3 de maio de 2010

O "Artista" dos Cartões



Podia ter sido pior...

Depois de ver o golo do Braga contra o Paços de Ferreira, os festejos dos adeptos do Porto ao golo do Braga (isso significou o adeus do FCP à Champions) temos que estar preparados para tudo pois será uma luta contra tudo e contra todos!
Continuamos a depender só de nós e não nos podemos fiar no Nacional do Rui Alves e no lipoaspirado Manuel Machado...

Temos tudo para fazer a festa para a semana.

"O campeonato vai ser nosso"
Jorge Jesus






Bem-vindos...à Liga Europa

FC Porto garantiu o 3º lugar e festejou como se tivesse ganho a Champions...

 Também não sabia que o FC Porto tinha um Clube de Golfe...

Faremos a festa junto aos nossos!

65.000 no Estádio rumo ao Título...!



 

 

Também Pode Gostar

Blog Widget by LinkWithin