sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Glorioso Ano 2011


A todos os que passaram por aqui em 2010, desejo um Feliz Ano Novo com muita saúde e um Glorioso 2011 cheio de conquistas e Vitórias com voos cada vez mais alto!






quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Funes Mori: "Temos que esperar até 02 de Janeiro"



Miguel Pires, o intermediário entre o River Plate e Benfica, assegurou que até Domingo será possível resolver definitivamente a transferência de Gabriel Funes Mori para o Benfica. 

Como está a situação? "Temos que esperar até 02 de Janeiro. As pessoas do Benfica estão a tentar fazer uma oferta melhor", revelou Miguel Pires.

As pretenções do River é que o Benfica chegue aos 11.000.000 € por 80% do passe de Mori Funes para que o negócio seja fechado...

11.000.000 € por 80% do passe...?!!!
Esperem sentados...





quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Entrevista Ricardo Araújo Pereira





Deve ter sido uma das prendas mais repetidas junto dos benfiquistas que sabem ler. E até dos que não sabem. "A Chama Imensa", livro que reúne as crónicas de Ricardo Araújo Pereira sobre o Benfica no jornal "A Bola", é um retrato do amor (às vezes ódio) de um homem pelo seu clube. O Gato Fedorento, sócio número 17.411, fala-nos das origens do seu benfiquismo e de uma fé no seu clube de tal maneira inabalável que resiste à lógica, bom senso e matemática



É possível que a águia Vitória não volte a voar no Estádio da Luz. Vai fazer muita falta?

Sim, fará falta. E é pena. O Benfica era o único clube que conseguia organizar um espectáculo daqueles com o seu símbolo. Os leões não voam tão bem e os dragões padecem do mesmo mal que a maior parte dos penalties que se vão assinalando a favor do Porto: não existem. Ainda assim, S. Jorge matou um. Veja como deve tratar-se de um bicho irritante, para conseguir fazer com que um homem que era santo perdesse a paciência.


Qual é a sua memória mais antiga do estádio da Luz?

Talvez um Benfica-Porto de 1981. Cheguei ao terceiro anel antigo logo a seguir ao almoço, porque os jogos eram à tarde e não havia esta mariquice dos lugares marcados, como na ópera. A certa altura, Pietra deu uma soberba sarrafada ao Frasco, que ficou a contorcer-se no chão. Um consócio que estava ao meu lado gritou, com muita humanidade: "Se ele está a sofrer, o melhor é abatê-lo!" Ganhámos 1-0, golo de João Alves. Resultado magro mas, tendo em conta que o árbitro era António Garrido, foi goleada. Nesse ano, fomos campeões e ganhámos a taça, também ao Porto, 3-1 na final. Três golos de Nené. Veloso marcou um na própria baliza logo a abrir, para lhes dar um de avanço, a ver se o jogo ficava mais equilibrado. Não resultou.


Por que razão escolheu o Benfica?

Quando eu era pequeno, o meu primo António convenceu-me de que o Benfica era o melhor clube do mundo. Sem querer tirar mérito ao meu primo António, não é difícil convencer uma pessoa disso, uma vez que é verdade. Quanto ao meu primo António, é do Benfica por causa de um barbeiro que lhe cortava o cabelo no Areeiro. Portanto, em última análise, sou do Benfica por causa do barbeiro do meu primo António. Até agora, foi o máximo que consegui apurar acerca da minha genealogia benfiquista.


No seu livro fala do Shéu e do Rui Costa, de querer ser como eles. Há algum jogador da actual equipa que lhe mereça essa empatia e admiração?

Em princípio, invejo o destino de todos os rapazes que vestem aquela camisola. Hoje, gosto especialmente do Maxi [Pereira] e do Fábio [Coentrão], uma vez que só não mordem nos adversários porque as regras não permitem; do Ruben Amorim, porque é do Benfica desde os três meses - e isso nota-se no seu futebol; do Luisão e do David Luiz, porque são a melhor dupla de centrais desde Mozer e Ricardo Gomes; do Aimar, porque descobre jogadores isolados para surpresa de toda a gente - incluindo dos próprios, que se apanham sozinhos sem saber como à frente da baliza; do Carlos Martins, porque é um digno sucessor de Carlos Manuel, a locomotiva do Barreiro; e do Roberto, porque é do tamanho de um guarda-fatos que a minha avó tinha e cada vez defende melhor. E, enfim, dos outros todos.



Costuma ver os juvenis na Benfica TV e o futsal de veteranos?

Claro. Estou de olho num puto que parece o Valderrama (acho que lhe chamam mesmo Valderrama) e gosta de fintar várias vezes o mesmo adversário antes de avançar para a baliza. No futsal de veteranos, acompanho com especial interesse a carreira de um avançado que talvez tenha dois ou três quilos a mais. Isto para falar apenas nas modalidades que citou. Mas se um velhote vestir a camisola do Benfica e começar a jogar chinquilho, sou menino para ir apoiar.



A enumeração dos maiores flops do clube é uma ocupação frequente entre benfiquistas que se querem rir deles próprios. Qual é para si a mais fracassada de todas as contratações do glorioso?

Se calhar, é mais fácil fornecer-lhe o meu onze ideal de cepos: na baliza, Bossio. Moretto, Zach Thornton e Butt esperam oportunidade no banco. Lateral direito: Dudic, embora Ricardo Rojas e Gary Charles tenham valor para ocupar o lugar. Centrais: Jorge Soares e Paulão, o coice de mula. Jorge Bermúdez, Machairidis, Simanic e outros 10 ou 20 que não me ocorrem agora também eram exasperantes. No lado esquerdo da defesa, o meu coração balança entre Steve Harkness, Alessandro Escalona e Emmanuel Pesaresi. Mas se me der 5 minutos, talvez encontre pior. Trinco: Michael Thomas, com Marco Freitas, Jamir e Paulo Almeida no banco. Daqui para a frente, seria preciso escolher 5 entre Taument, Glenn Helder, Leónidas, Manduca, Luís Carlos, Luís Gustavo, Clóvis, Uribe, Hassan, Marcelo e Pringle. Uma tarefa difícil.


O que sente ao ver isto [link para o vídeo promocional da Operação Coração, no YouTube]?

Sinto alívio por já não estarmos nessa situação e incredulidade por ter sido possível convencer as pessoas a fazer essas doações. Depois lembro-me do título da Operação Coração que tenho emoldurado na minha secretária e percebo tudo um bocadinho melhor.


E isto [o golo e as lágrimas de Rui Costa depois de marcar ao Benfica enquanto jogador da Fiorentina]?

Eu estava no estádio nesse dia e na bancada também estávamos todos a chorar. Que quer que lhe diga?, os benfiquistas são pessoas sensíveis. Hoje, este episódio continua a emocionar-me, apesar de se ter tornado comum: quando o Inter marcou ao Sporting, Luís Figo também chorou. Chorou a rir, mas chorou.


Não estão em "A Chama Imensa" as crónicas todas. Como fez a selecção?

Excluí as que tinham ainda menos interesse do que as que ficaram. Só fiz ponto de honra em manter todas as que falavam de Rui Moreira. Um homem que é proprietário de um cão que ressuscita merece a distinção. Haja respeito pela Páscoa canina.


Como é ser um dos "dois rafeiros atiçados às canelas" de Miguel Sousa Tavares?

É surpreendente, porque sempre apontei para o lombo. Miguel Sousa Tavares tem uma relação um pouco conflituosa com os factos e uma grande capacidade para ignorar evidências, como certos documentos que temos vindo a ver, ler e ouvir. Ora, como disse a avó de um adepto do Benfica chamada Sophia de Mello Breyner, "vemos, ouvimos e lemos / não podemos ignorar". Palavras sábias.


Durante o período em que foi cronista de "A Bola", qual foi o melhor alvo?

Deve ter sido o Pinto da Costa. É quase inevitável, uma vez que se mantém no cargo há décadas e é um homem multifacetado, que ora declama poesia como João Villaret, ora dá indicações de trânsito como um GPS. O facto de estar a cumprir pena de suspensão por tentativa de corrupção activa enquanto se queixa das arbitragens também é divertido.



Qual é para si a equipa mais fácil de caricaturar do nosso campeonato?

É possível que seja o Sporting. Sempre que o Benfica está no fundo, o Sporting tem a gentileza de aparecer para demonstrar que é possível descer um pouco mais. Um dia depois de termos levado 5 do Porto, o Sporting jogou contra o Guimarães. Estava a ganhar 2-0. Nisto, o Vitória reduz. Depois, empata. A seguir, marca o golo da vitória. Até me passou um bocadinho da azia.


Acha que ainda vamos lá este ano?

Claro. Mas eu sou suspeito, uma vez que continuo a acreditar mesmo quando já é matematicamente impossível. 


Fonte: Jornal ionline.pt

Mantorras deixa aqui um conselho



Nunca comprem um Tijolo na ENSITEL sem um seguro contra todos os riscos...


terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O assunto do dia: ENSITEL




Ensitel "compra" guerra nas redes sociais


E, de um momento para o outro, a blogosfera, aliada ao Twitter e ao Facebook, ganha novo assunto de debate... e uma empresa fica a saber, da pior maneira, qual o verdadeiro poder das redes sociais...

O assunto mais twitado do momento tem um nome muito simples: Ensitel. Tudo começou em 2009, com uma consumidora queixosa que tentou por diversas vezes trocar um equipamento que, tudo indica, vinha com defeito, dentro dos prazos legais de entrega. Seguir-se-ia uma autêntica "luta" pela reparação, troca do equipamento ou devolução do dinheiro, luta essa que só terminou num julgamento... ou não.

A "luta" foi reaberta abruptamente no dia 22 de Dezembro, quando a consumidora, autora do blogue Jonasnuts e bastante conhecida na blogosfera, recebeu uma nota de citação pessoal de parte da Ensitel, a exigir que apague os posts que colocou no blogue em que menciona a empresa.

A questão extrapolou o simples post e virou guerra no Twitter e no Facebook, onde a empresa é, agora, o assunto mais falado (da pior maneira). Senão vejamos os dados: #Ensitel foi a hashtag mais utilizada ontem à noite em Portugal e continua a liderar a lista de hashtags mais usadas nas últimas horas, de acordo com o TwitterPortugal. No Facebook, a página da marca foi inundada de comentários, que, conta quem viu, estão a ser apagados um a um.

Não se fala de outra coisa nas redes sociais, em Portugal. Há quem jure boicote à empresa, quem a acuse de tentar impedir a liberdade de expressão dos seus clientes e há até mesmo quem queira fazer manifestações à porta das lojas.

Em causa está, no fundo, a maneira como a empresa lidou com a situação, menosprezando o poder das redes sociais e tentando, a todo o custo, "silenciar" quem tinha uma opinião negativa. Resultado? Uma avalanche de comentários negativos na Internet... que já extrapola as redes sociais e tem, certamente, impacto no "mundo real". Uma lição que, porventura, muitas outras empresas terão de aprender ainda: não se deve desprezar o poder do cidadão comum, com um teclado e uma ligação à Internet....e "seguidores" nas redes sociais.



Fonte: Blogue Nós na Rede





Da Cegueira à Lucidez



“Benfica foi um justo campeão”


Jesualdo Ferreira in Record


Como a experiência lá fora lhe fez abrir os olhos...










.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

José Luis Fernández chega Quarta-feira para o Benfica




Extremo internacional argentino do Racing Avellaneda vai assinar contrato até Junho de 2015 com o Benfica.  O extremo-esquerdo de 23 anos recebeu autorização do seu clube para se deslocar a Lisboa e assinar um contrato válido por quatro épocas e meia.
O acordo foi alcançado com o valor da transferência a rondar os 2 milhões de euros.

Algumas jogadas do novo reforço AQUI

Será mesmo um extremo?





domingo, 26 de dezembro de 2010

Prendas que não têm preço...



Pelo significado e pela admiração que tenho por Ricardo Araújo Pereira, há prendas que não têm preço... 


Obrigado Maninha....!

Obrigado RAP!

Genial até nos momentos em que está a dar autógrafos:
RAP: -Vai levar 3 exemplares?
 Olhe que eles dizem todos a mesma coisa!
.


 

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Votos de um Glorioso Natal



Dear Children,


Santa Claus is Mum and Dad



Love






 Wikileaks












No Eclipse Lunar...




À magia de um eclipse total da lua juntou-se o facto de coincidir com a noite mais longa do ano. Há mais de 370 anos que um eclipse lunar não acontecia no solestício de inverno...

Mais relevante ainda foi o show de luz cor Encarnado como que augurando um futuro risonho para os lados da Luz...
Será?



quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Assalto à mão armada



José Couceiro é o novo director-geral da SAD do Sporting
Para pôr ordem na casa. Pelo menos é essa a intenção...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Benfica despede Bernabé e já procura sucessora para Vitória


Na íntegra, o comunicado emitido pelo Sport Lisboa e Benfica:
 
Face às reiteradas declarações falsas e difamatórias que desde o passado sábado foram proferidas pelo senhor Juan Bernabé, ou pelo seu advogado, em relação aos incidentes verificados no passado dia 18 de Dezembro, a Benfica SAD vem esclarecer que:

a) Ao contrário do que repetidamente tem afirmado, o senhor Juan Bernabé não foi agredido, antes agrediu de forma injustificada e gratuita um Director da Benfica SAD, nos momentos que antecederam a entrada das equipas do SL Benfica e do Rio Ave em campo, no passado sábado. Situação presenciada por várias testemunhas que se encontravam no local e que ficou registada pelos meios de segurança.

b) Esta agressão não foi um acto isolado. Infelizmente, muitos outros incidentes foram registados ao longo dos últimos anos por aquele prestador de serviços desta Sociedade, envolvendo insultos e ameaças a diferentes profissionais do SL Benfica (Secretaria Geral, Relações Públicas, Direcção Comercial & Marketing e Futebol de Formação).

c) Não se pode ter por pessoa de bem alguém que deturpa os factos e mente deliberadamente aos Sócios.

d) Ao longo dos últimos meses, esta Administração encetou diversas diligências junto do Senhor Juan Bernabé para que este alterasse o seu comportamento.

e) Do diálogo entre as partes, sempre resultou o entendimento de que seria possível uma melhoria da postura daquele prestador de serviços, sendo para tal imperioso que este respeitasse, não apenas os colaboradores do SL Benfica, mas também as normas em vigor, nomeadamente aquelas que definem os procedimentos relativos à organização de jogos.

f) Infelizmente, os acontecimentos do dia 18 revelaram que não se trata de um problema pontual, mas sim de uma atitude reiterada e intolerável de desrespeito perante aqueles que sempre colaboraram com ele e, na pessoa destes, perante o próprio SL Benfica.

g) O símbolo do Sport Lisboa e Benfica é a águia, não o senhor Juan Bernabé.
h) A Benfica SAD não pode deixar de lamentar esta situação, mas, em face das agressões perpetradas e das declarações entretanto proferidas, não deixará de accionar os mecanismos legais ao seu dispor.

i) O SL Benfica foi, durante muito tempo o único clube do Mundo que tinha o seu símbolo a voar nos seus jogos. E só deixou de ser quando a “águia” se transformou num negócio que nada tem a ver com benfiquismo. Facto que, naturalmente, lamentamos.

j) Foi alertado, em diversas ocasiões, quanto a esta situação. Nada mudou, apenas se agravou o seu comportamento.

k) Face à importância reconhecida do voo da águia, como símbolo vivo do nosso Clube, esta Sociedade irá tomar as medidas necessárias para que a mesma volte a animar o Estádio da Luz a breve trecho.



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Sempre actual este vídeo...




Adaptação genial de um tema poderosíssimo...

Quem fez isto é um verdadeiro campeão


Aqui fica em jeito de homenagem para quem hoje afirmou querer 

"lutar pelo bom futebol"

Há mais Vitórias que Barnabés



Luís Filipe Vieira decide hoje o futuro da águia Vitória na Luz. A direção está "farta das atitudes do tratador Juan Barnabé",  e colocou a decisão nas mãos do presidente. Este também está inclinado a rescindir o vínculo com o espanhol e com a águia, mas contratos de publicidade e marketing são, de momento, o maior obstáculo. No actual contrato com o Benfica, estão previstos 120 mil euros anuais, dez mil euros mensais, mais precisamente, que são repartidos por todo o staff responsável pela águia Vitória

A gota de água aconteceu no sábado, antes da partida com o Rio Ave. O tratador chegou atrasado ao estádio, segundo informações recolhidas, e quis entrar directamente para o relvado através do túnel de acesso aos balneários, algo que o Benfica não permitiu, dado que esse espaço é usado apenas pelos intervenientes nos jogos.

A este atraso juntam-se outros "incumprimentos" do tratador, de acordo com a mesma fonte, mas a verdade é que a direcção encarnada não ficou muito satisfeita com o contrato que Juan Barnabé assinou com a Lazio de Roma, para realizar espectáculo idêntico no Estádio Olímpico da capital italiana.


Espero uma rápida decisão da direção sobre este caso e que o Barnabé aprenda a lição que quando se está no Benfica, deve-se servir o Clube e não  servir-se dele


Coloquei a foto do José Manuel Paixão, o "homem da águia", precisamente para homenagear este Homem que se dedicou ao Benfica sem pedir nada em troca. Trabalhou  no Benfica durante mais de duas décadas. Primeiro com a Sara (que começou a frequentar os céus do estádio benfiquista em 1983), e depois com a Glória, hoje com 19 anos.


Sempre por Paixão ao Clube!

Sobre ele, recomendo este texto AQUI


Posto isto, se é verdade que são recorrentes, episódios de arrogância e falta de educação aliado a um espírito "pesetero" só me resta concluir que este homem dificilmente terá condições de continuar a servir o BENFICA.

Haverá sempre mais VITÓRIAS marés que marinheios Barnabés...!


Mas os voo, esse momento mágico que antecede os jogos, esse tem de continuar








.

domingo, 19 de dezembro de 2010

«trio maravilha»


O Benfica na sua melhor versão



O Estádio da Luz despediu-se de 2010 com o Benfica a golear o Rio Ave por 5-2, brindando assim dos seus adeptos com uma exibição com créditos de campeão.

Jorge Jesus classificou o arranque do Benfica frente ao Rio Ave como «os melhores 35 minutos da época». O treinador das águias considerou mesmo que os seus jogadores «foram diabólicos». 
Termina o ano com uma amostra do que pode fazer o Benfica em 2011 mantendo viva a luta pelo título.

sábado, 18 de dezembro de 2010

"subir de rendimento"





Jorge Jesus, garantiu ontem que a equipa está a subir de rendimento e preparada para a recepção ao Rio Ave.
 
“Temos consciência de que estamos a subir de rendimento”, disse Jorge Jesus, em declarações à Benfica TV, admitindo que a vitória frente ao Sporting de Braga (2-0), para a Taça de Portugal, deu confiança.

“Quando se ganha, as semanas de trabalho são mais fáceis. Vimos de uma vitória frente ao Braga, o que deu alegria à equipa. As vitórias são o eco para os jogadores em termos de confiança”, referiu.

Jorge Jesus admitiu que o Rio Ave não é adversário fácil e acredita que a formação de Vila do Conde “vai apresentar-se muito bem posicionada defensivamente e a tentar sair com os seus jogadores mais rápidos”.

O treinador “encarnado” lembrou ainda que o Rio Ave “não perde há cinco jogos” e referiu-se ao avançado João Tomás, que já passou pelo Benfica, como um “jogador a controlar”.

“O Rio Ave é uma equipa que não começou bem o campeonato, mas, para mim, é uma das melhores equipas do meio da tabela para baixo”, considerou Jesus, garantindo, no entanto, que o Benfica “quer jogar com qualidade, técnica e táctica num plano superior”.

Jesus assegurou ainda que o central brasileiro Sidnei, que “entrou muito bem no jogo com o Braga (substituiu o lesionado Luisão)”, vai ser titular, tal como o médio espanhol Javi Garcia”.


O encontro disputa-se hoje, a partir das 17h, no Estádio da Luz, com arbitragem do lisboeta Hugo Miguel.

Equipas prováveis:

Benfica: Roberto; Maxi Pereira, Sidnei, David Luiz e Fábio Coentrão; Javi Garcia, Carlos Martins e Aimar; Saviola e Cardozo

Rio Ave: Paulo Santos; Zé Gomes, Gaspar, Éder e Tiago Pinto; Ricardo Chaves, Wires, Bruno China; Bruno Gama, João Tomás e Saulo

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Benfica é quem mais perigo corre no sorteio da Liga Europa


Liverpool, Manchester City, Zenit de São Petersburgo, Bayer Leverkusen e Villarreal. Estes são alguns dos possíveis adversários do Benfica nos 16 avos-de-final da Liga Europa de futebol, cujo sorteio se realiza nesta sexta-feira (12h, hora de Lisboa) em Nyon.

O Benfica ficou no lote nos piores quatro, sujeitando-se agora a defrontar um dos cabeças de série, exceptuando as três equipas portuguesas.
O Twente será teoricamente o adversário mais apetecível para a equipa de Jorge Jesus, embora haja outros rivais, como o Dínamo de Kiev ou o Spartak de Moscovo, que estão longe de serem colossos europeus.

Cabeças de série
 
Manchester City (Ing)
B. Leverkusen (Ale)
SPORTING (POR)
Villarreal (Esp)
Dínamo Kiev (Ucr)
CSKA Moscovo (Rus)
Zenit (Rus)
Estugarda (Ale)
PSV (Hol)
Paris SG (Fra)
Liverpool (Ing)
FC PORTO (POR)
Spartak (Rus)
SP. BRAGA (POR)
Ajax (Hol)
Twente (Hol)



Não cabeças de série
 
Lech Poznan (Pol)
Aris Salónia (Gre)
Lille (Fra)
PAOK (Gre)
BATE Borisov (Bie)
Sparta Praga (RChe)
Anderlecht (Bel)
Young Boys (Sui)
Metalist (Ucr)
Sevilha (Esp)
Nápoles (Ita)
Besiktas (Tur)
Rubin Kazan (Rus)
Basileia (Sui)
Rangers (Esc)
BENFICA (POR)




Notas: Não se podem defrontar equipas do mesmo país, nem formações que se tenham enfrentado na fase de grupos da Liga Europa.






Mais uma revelação do Wikileaks





Surpreendente ou talvez não...








-

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O Mistério do Sorteio da Taça


 
Limianos, Moreirense, Juventude Évora, Pinhalnovense...



As bolas do FCP são as que dão choque?





terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Sugestão de Natal...



«Ou bem que se é adepto, ou bem que se sabe ver as coisas. Não quero estar aqui a gabar-me, mas eu não sei ver coisa nenhuma. Se é para ser adulto e ponderado, dedico-me à química analítica. O futebol não é para isso.»

Eu digo-vos qual é o principal problema de ser do Benfica: é muito difícil ser grande. Dá muito trabalho ser um colosso. Um gigante está sempre tramado: se ganha, é um acaso normal a que ninguém liga; se perde, é uma catástrofe que todos assinalam. O leitor lembra-se da história de David e Golias? Vá lá buscar a Bíblia, que eu espero. Veja aí, no Livro de Samuel, se eu não tenho razão para simpatizar mais com o gigante do que com o pastor. Golias era um gigante fabuloso, imbatível. Ganhou, de certeza, inúmeros combates antes do que aí vem descrito. Que se saiba, só perdeu um. Pois é exactamente esse que vai parar ao maior best-seller de todos os tempos. Azar, não? Hoje percebemos que a luta era desigual e injusta para Golias. O maior adversário era o dele. Golias lutava contra o seu próprio medo (que, por ser o medo de um gigante, é igualmente gigante) e contra a História. David combatia apenas um simples gigante.

Com o Benfica sucede o mesmo. Num jogo como o de ontem, contra a Naval, é o Benfica que parte em desvantagem. Está a lutar contra a memória, contra o futuro, contra a própria Derrota, com "D" grande — e contra 11 sacanas vestidos de verde, que isto não pode ser só poesia. Quem é mais forte? Toda a História ou um pobre gigante indefeso? Eu, como tendo a ficar do lado dos mais fracos, nestes casos torço sempre pelo gigante. Para mim, ser do Benfica é um imperativo ético.»

A Chama Imensa 

Ricardo Araújo Pereira

Preço Fnac: 14,31 €

Como ressuscitou Jesus



O jogo de domingo, com o Braga, para a Taça de Portugal, mostrou que Jorge Jesus... está vivo. O técnico do Benfica voltou a ser aquele espectáculo à parte no acompanhamento do jogo e nas ordens à equipa, eléctrico como há algum tempo não se via, deixando a atitude conformada e quase passiva dos últimos encontros. Uma mudança de comportamento que se explica com o conjunto de factores que a seguir se decompõe, quando a posição de Jesus era insistentemente colocada em causa - havia até o rumor de que o treinador campeão nacional nem chegaria ao Natal, antecipando-se o fim de uma ligação válida até 2013. 

Os votos de confiança de Luís Filipe Vieira, que pelo prisma do fatalismo até poderiam ser entendidos como prenúncio de despedimento, fortaleceram, porém, Jesus, uma vez que foram repetidos em curto espaço de tempo e com clareza por parte do presidente do Benfica. Começou aí a alteração de atitude do técnico de 56 anos, que mostra-se mais expansivo e exuberante precisamente quando se sente confiante - em contrapartida, os nervos é que o deixam quieto e escondido no banco. Depois, a promessa de contar com reforços de Inverno, já em Janeiro, deixou-o também mais optimista e com a convicção de que a segunda metade da época será melhor, até porque há atletas capazes de render mais com o passar do tempo. 

O volte-face neste jogo da Taça, que garantiu o apuramento para os oitavos-de-final, foi ainda estimulado pelo facto de ser uma partida a eliminar e uma prova em aberto - o Benfica já foi eliminado da Champions e está longe do líder FC Porto -, tratando-se também de um sonho de Jesus. O treinador das águias já esteve numa decisão (em 2007), com o Belenenses, e nunca escondeu o desejo de triunfar no Jamor, enriquecendo o currículo e homenageando o avô. 

A mudança de comportamento de Jesus entronca ainda numa nova estratégia de comunicação. Desde logo porque, pela primeira vez, o técnico fez um mea culpa, reconhecendo que pôs a fasquia demasiado alta quanto à Liga dos Campeões, exagero que acabou por ter influência no seio do grupo, à medida que as derrotas apareceram. Essa mesma instabilidade seria também assumida pelo treinador, que vê agora a equipa "menos ansiosa e mais confiante". E essa confiança é precisamente o combustível de um Jesus de regresso ao passado. Igual a si próprio. 

LUÍS PENA VIEGAS / ANA PROENÇA



segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Picareta falante



Caro André Villas-Boas,

Algures na década de 90, Vasco Pulido Valente batizou genialmente António Guterres como “picareta falante”. Quando penso em ti, é disso que me lembro. Calado tantos anos à sombra de um gigante, chegaste a Portugal com uma necessidade infinita de afirmação e uma vontade irreprimível de palrar. Com a excitação juvenil de quem abandonou recentemente uma estranha prisão, a tua língua soltou-se.

Em pouco mais de um ano, ouvi-te arengar sobre tudo e mais alguma coisa. Discursas sobre o Benfica, muito, mas também sobre o Sporting, sempre em picanço; teorizas as falhas da Liga Europa, explicas a teoria do caos no futebol, gabas as metodologias dos treinos, defendes a primazia do coletivo sobre o individual, classificas os clubes que vêm da Champion como “frustrados”, reforças os grandes méritos de Jesus (dias depois de o ter humilhado), relembras os castigos da época passada, e opinas sobre arbitragens, Vítor Pereira, Benquerença, Jorge Silva ou Elmano Santos. Munido de mil e uma ideias, raciocínios e pontos de vista, peroras aos microfones, lançando bicadas à direita e à esquerda, como a picareta falante.

A princípio, isto irritava-me. Depois, passou a cansar-me, e só me apetecia perguntar, como o rei Juan Carlos fez certo dia a Hugo Chavez: “Por que no te calas?”. Mas, agora já te acho graça. Na verdade, perante a penúria que tem sido este campeonato, se não fosses tu e as tuas inventivas teses, esta época não tinha ponta por onde se lhe pegasse. Bem hajas, por entreter o povo com a tua retórica malabarista.

Domingos Amaral in Jornal Record

domingo, 12 de dezembro de 2010

CARREGA PRÁ PEDREIRA!

 

 

Domingos na conferência de imprensa com cara de cólica renal...

Suspeito que tenha 2 pedrinhas nos rins! 

CARREGA PRÁ PEDREIRA!

 

 

  Resumo do Jogo AQUI

 

 

 

.

Uma espécie de Final




Tal como numa verdadeira Final espero uma equipa empolgada, um banco motivado e um público a puxar pela equipa desde o primeiro minuto...


A única solução para sarar a revolta e frustração é lutar ainda mais em campo e Vencer,Vencer, Vencer...!






sábado, 11 de dezembro de 2010

Fim do boicote aos jogos fora



Luís Filipe Vieira anunciou este sábado, em carta dirigida aos sócios do Benfica, o fim do boicote aos jogos fora. Apelos da família benfiquista mas também de outros clubes motivaram a decisão do presidente dos encarnados, avalizada pelos órgãos sociais do clube. 


«Quem não tem memória arrisca-se a ser ingrato, e há uma coisa que este clube não pode perder, a sua memória e a sua gratidão a todos os que contribuíram para engrandecer a nossa história. Sei do desencanto dos benfiquistas. Partilho desse desencanto, lamento o percurso acidentado que temos vivido, mas estou certo de que os primeiros a lamentá-lo são os nossos jogadores e a nossa equipa técnica. De uma coisa tenho a certeza: nunca devemos cair na tentação de reagir a quente, ou escolher o caminho mais fácil, porque o caminho mais fácil, muitas vezes, é aquele que nos leva aos maiores problemas"


"Fui alvo, ao longo dos últimos meses, de muitos apelos, de pessoas singulares e de várias Casas do Benfica e até de Clubes. Fui sensível a esses apelos e levei o assunto ao plenário de órgãos sociais que ontem se realizou, tendo sido decidido que - independentemente da razão que nos assiste - é tempo de retirar o apelo ao boicote e continuar a acreditar na equipa campeã nacional. Juntos, como sempre, e determinados como nunca, vamos ultrapassar todos os obstáculos."


Em defesa de Jesus


Posso estar em negação (isso explicaria por que razão estou convencido que o mau futebol do Benfica não passa de um plano diabólico para desencorajar os adeptos a irem assistir aos jogos fora). Mas a verdade é que me recuso a pensar na hipótese de Jorge Jesus ser despedido. Em termos racionais – e eu peço, desde já, desculpa por estar a amalgamar neste texto assuntos tão díspares quanto “racionalidade” e “futebol” – não faz sentido termos por fim encontrado um treinador capaz e competente, depois de décadas a tolerar treinadores razoáveis e medíocres, e agora demiti-lo por não estar a ter sucesso nos últimos meses. Sejamos razoáveis: se, até 2037, Jorge Jesus não puser a equipa a jogar como na época passada, apontemos-lhe então a porta de saída com maus modos.

Jesus perdeu o balneário? É simples: compre-se-lhe um novo balneário. Quem está com o nosso treinador, fica. Quem não está, é excomungado. Custa-me dizer isto, mas o Benfica tem muito a aprender com a forma como a Igreja Católica lidou, no passado, com a dissensão: quem não acreditar em Jesus, deve ser castigado. Mas sem aquela parte das acendalhas.

Uma referência final à forma energúmena como alguns adeptos do Benfica têm tratado o campeão nacional César Peixoto. Eu não me esqueço quem é que, no ano passado, marcou Hulk na Luz, de forma exemplar. E também não me esqueço quem é que, na época passada, foi o melhor jogador em campo no Sporting 1 - Benfica 4, referente às meias-finais da Taça da Liga. Mas isso sou eu, que não gosto de dar tiros no pé.

MIGUEL GÓIS in Jornal Record

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

«Jesus faz parte da solução, não do problema»




O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, garantiu esta noite que Jorge Jesus é, e continuará a ser, o treinador do Benfica.

«Nenhum benfiquista pode ter memória curta. O treinador do Benfica é o mesmo que nos deu o título nacional. O Jorge Jesus faz parte da solução, nunca do problema. Não podemos voltar a passado recente. Ninguém no Benfica está satisfeito com a situação que vivemos», disse em entrevista à televisão do clube.

O presidente das águias disse que «os jogadores também estão tristes» e reconheceu que foi um erro ter despedido Fernando Santos: «Não podemos escolher o caminho mais fácil, que é o que nos conduz a mais problemas. Devemos recordar o que aconteceu com Fernando Santos. Foi um erro que cometi dizer-lhe que não iria continuar no Benfica. Tenho de aprender com os meus erros. Ao despedi-lo não se melhorou nada».

Luís Filipe Vieira frisou mesmo que Jesus é uma aposta pessoal sua: «o Benfica tem um treinador, irá continuar a ser, é o treinador dos benfiquistas, é o meu treinador. Os jogadores do Benfica estão muito tristes com o que está a passar-se e a fazer um grande esforço para inverter a situação». 



Fonte: A Bola

Durante a referida entrevista, caiu um bocado do tecto sobre Luís Filipe Vieira na Benfica TV 

AQUI 

 




Tirem as vossas conclusões....




Cão nasceu verde e foi baptizado de Hulk

Uma cadela labrador que teve uma ninhada de oito cachorros teve uma surpresa ao género do patinho feio . Um dos filhotes é totalmente verde e transformou-se numa atracção em São Paulo, no Brasil. O cão já foi baptizado com o nome de Hulk, a personagem de BD conhecida por ser verde.
Fonte : Jornal Sol
 No Brasil?
Hummm…
"I Know What You Did Last Summer..."









.

Entrevista José Esteves a "Jorge Jesus"

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Artigo João Gobern

Esforços e reforços

Seria útil que Jorge Jesus tivesse utilizado os vinte minutos em que, ontem, o Benfica esteve matematicamente afastado da continuidade nas competições europeias para repensar as suas intervenções públicas. É certo que fazer confluir para um só homem as culpas de uma exibição desastrada e abúlica, tão arrastada como se do resultado não dependesse o (relativo) equilíbrio financeiro e a salvaguarda da última fatia do prestígio amealhado na época passada, assume foros de injustiça – afinal, o treinador não pode entrar em campo para empurrar os jogadores… Do mesmo modo, é verdade que, nas declarações do técnico de um grande clube, há que contar sempre com uma percentagem reservada à motivação do plantel e ao empolgamento dos adeptos. Mas o grave, neste caso, está no abismo que emerge entre o que se diz e o que se vê.

Sejamos honestos: com exceção de uma hora frente ao Lyon, na partida da Luz, a participação do Benfica na Liga dos Campeões fica abaixo do medíocre, tanto pelas exibições como pelos resultados. O que fica para a história são quatro derrotas em seis jogos e a desvantagem no marcador face a todos os oponentes: 1-4 frente ao Schalke 04, 4-5 na soma com o Lyon, até 2-3 nos desfechos com o Hapoel. Mais: os benfiquistas que suspiraram de alívio com o golo de Lacazette não vão esquecer que a sua equipa entrou a depender de si própria e acabou a rezar pelo milagre em Lyon. Antes de mais esta pintura esborratada, já Jorge Jesus tinha defendido que o Benfica poderia chegar mais longe na Liga Europa do que fez na época passada. Só para avivar a memória: o campeão nacional despediu-se nos quartos-de-final. O que levanta a questão – a jogar assim, sem pressão, alta ou baixa, sem velocidade, alta ou baixa, sem eficácia, ao invés da última época, alguém acredita na verosimilhança deste objetivo?

É preciso mudar muita coisa, a começar pela atitude. Como é indispensável desvendar o grande mistério da temporada benfiquista: se os jogadores são praticamente os mesmos (e Jesus teve tempo e dinheiro para substituir à altura Di María e Ramires), de onde vêm tantas diferenças? Vem aí o mercado de Janeiro e a tentação pelos reforços é grande, mesmo tendo consciência de que é muito mais difícil fazer bons negócios no Inverno. Talvez por isso, se troque o reforço pelo esforço: sem a resolução das maleitas internas, os que vierem podem alinhar no lado dos problemas e não das soluções. Acima de tudo, o Benfica precisa jogar mais e melhor. Caso contrário, ficará a falar sozinho, quando protestar contra os Elmanos desta vida. Claro que a reclamação é justa, nas primeiro é necessário fazer pela vida dentro de campo. Chama-se autoridade moral, se não me engano.

João Gobern in Jornal Record

Dia Mundial contra a Corrupção


Obrigado You Tube ...



Bem haja ao Tripulha!




.


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Liga Europa foi garantida..... em França

O Benfica assegurou a presença na Liga Europa, mas sem ponta de brilhantismo. Derrotada em casa pelo Schalke (1-2), esteve mesmo alguns minutos afastada das provas da UEFA. O apuramento para a segunda prova europeia de clubes acabou por ser garantida bem longe da Luz, em França, com o Lyon a empatar com o Hapoel a dois minutos do fim (2-2).
 Resumo dos dois jogos AQUI e AQUI
O Benfica vai ser a única das equipas portuguesas que não terá o estatuto de cabeça-de-série no sorteio para os dezasseis avos de final da Liga Europa. Sporting e F.C. Porto já têm garantido esse estatuto, enquanto o Sp. Braga, que ainda guarda aspirações de prosseguir na Liga dos Campeões, também tem assegurado o primeiro pote para o sorteio.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A última cartada na Champions


O Benfica recebe esta noite (19h45, RTP1) o Schalke 04 no Estádio da Luz para lutar pela última das glórias que é garantir o terceiro lugar no grupo e um espaço na Liga Europa, depois do fracasso da aventura na Champions.

O Benfica tem de pelo menos, fazer o mesmo que o Hapoel que joga em Lyon para alcançar o novo objectivo. Neste Grupo B  falta apenas encontrar a ordem dos apurados: quem termina em primeiro e em segundo, com os alemães em vantagem sobre o Lyon à partida para esta última cartada.

Na antevisão da partida, Jorge Jesus disse que “só a vitória interessa” no intuito de fazer o pleno de vitórias nos jogos em casa e de garantir, sem depender de terceiros, o apuramento para a Liga Europa.

A vitória hoje frente ao Schalke04 na Luz não só é importante para o “ego” benfiquista, como será fundamental para o sorteio dos 16 avos-de-final da Liga Europa:

Os quatro melhores terceiros classificados da Liga dos Campeões serão cabeças-de-série, juntando-se aos 12 vencedores da fase de Grupos da Liga Europa. 

Assim, defrontarão os quatro piores terceiros da Champions e os segundos classificados da Liga Europa.







segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

E agora?

Fonte: Vistoalupa

Quem paga ao Palhaço?

"sempre em frente. . . sempre em frente. . . . sempre em frente" ...








-

O Prêmio Puskas da FIFA




Os dez golos selecionados pelo Comitê de Futebol já estão disponíveis .

Agora, basta votar e participar na eleição oficial do vencedor do Prêmio Puskás da FIFA 2010. 

Hamit Altintop, Arjen Robben, Giovanni van Bronckhorst, Kumi Yokoyama, Linus Hallenius, Samir Nasri, Lionel Messi, Siphiwe Tshabalala, Matthew Burrows e o brasileiro Neymar são os candidatos. 

O vencedor será revelado durante a cerimónia de entrega do prémio Bola de Ouro da FIFA no dia 10 de janeiro de 2011 em Zurique.

A votação encerra segunda-feira, 13 de Dezembro. Faz a tua escolha AQUI


sábado, 4 de dezembro de 2010

Vota na Equipa do Ano de 2010


Já foram escolhidos os 60 candidatos à Equipa do Ano de 2010, escolhida pelos utilizadores do uefa.com, por isso não deixes de votar AQUI nos jogadores e no treinador que mais te impressionaram no último ano. 

David Luiz e o lateral-esquerdo Fábio Coentrão são candidatos a integrarem a melhor equipa de 2010 da UEFA. Vota já nos jogadores do Sport Lisboa e Benfica!
 
A UEFA vai entregar um cheque de 100 mil euros ao capitão da equipa do ano de 2010, votada pelos utilizadores do UEFA.com, que será doado ao Comité Internacional da Cruz Vermelha (ICRC). Esta será a terceira vez que o CICV vai beneficiar do cheque oferecido pela UEFA em resultado da eleição da Equipa do Ano votada pelos utilizadores do UEFA.com. Todo o dinheiro doado será destinado à campanha Marcar pela Cruz Vermelha que visa apoiar o projecto do ICRC para a reabilitação das vítimas de minas terrestres no Afeganistão.





-

HIGHLIGHTS Benfica 2 - Olhanense 0

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Cardozo pode ultrapassar Magnusson


Óscar Cardozo pode tornar-se esta noite, frente ao Olhanense, o melhor marcador estrangeiro da história do Benfica. Caso marque frente aos algarvios, o paraguaio iguala Mats Magnusson, detentor do estatuto há duas décadas.

Mats Magnusson marcou 84 golos em jogos oficiais pelo Benfica em cinco épocas: 64 no campeonato, 14 na Taça de Portugal, cinco na UEFA e um na Supertaça.

Já Cardozo, actualmente com 83 golos apontados, em três épocas e meia, marcou 61 no campeonato, cinco na Taça de Portugal, 15 na Taça UEFA e dois na Taça da Liga.


“Cardozo apanhar-me não me aborrece. Os seus golos e o seu êxito são a alegria do Benfica e dos seus adeptos e sócios, que adoro! Fico feliz pelo seu êxito, merece.” 
Mats Ture Magnusson

Crónicas de Leonor Pinhão

Com Xau, lavam mais branco 

No final do jogo de Aveiro, no momento daquela coisa que se convencionou chamar flash-interview, o profissional do microfone de serviço, não contente com os pormenores do jogo e com o desfecho do resultado, que foi favorável ao Benfica, entendeu levar a conversa com Jorge Jesus para o âmbito das relações entre o treinador e os jogadores e entre o treinador e o clube.Embora o regulamento daquela coisa a que se convencionou chamar Liga de Clubes, e que é a entidade organizadora dos jogos, desautorize os profissionais do microfone de serviço de levarem as suas questões para além do âmbito do jogo a que acabaram de assistir, não é de todo invulgar, nem muito menos suspeita, a curiosidade dos jornalistas pelas circunstâncias mais gerais.

 

Foram tão pouco invulgares as questões do profissional do microfone a Jorge Jesus como também não foi em nada surpreendente a primeira resposta do treinador do Benfica, impacientando-se com o jornalista, remetendo-o para o tal regulamento da Liga que só permite aos jornalistas cingirem-se à matéria de facto dos 90 minutos de jogo em causa.
À segunda investida do repórter, Jorge Jesus perdeu definitivamente a paciência e com um popular e em nada acintoso «então, xau!» pôs-se a andar dali para fora. Fez muito bem o treinador do Benfica que se poupou, e nos poupou, a um diálogo menos urbano optando pelo silêncio que não ofende nem embaraça ninguém.
O assunto morreria ali se o profissional do microfone, sem o adversário por perto, não resolvesse terminar a sua exibição com uma graça a despropósito, como qualquer velho e competente jornalista lhe reprovaria, qualquer coisa do género: isto aqui não é «a Benfica TV», o que lhe era absolutamente dispensável porque só veio reforçar a justeza da retirada de Jorge Jesus perante um repórter do tipo engraçadinho e, francamente, sem maneiras. Sem maneiras de jornalista, obviamente.
Há jornalistas, sempre houve, que se queixam muito de coisas sem importância nenhuma.

Na noite de domingo, por exemplo, durante a transmissão do jogo de Aveiro os comentadores de serviço queixaram-se o tempo todo do frio que sentiam, acrescentando pormenores sobre a descida do mercúrio nos termómetros e as aflições que os rigores do Inverno lhe estavam a causar. Depois, quando o jogo acabou, como também sabemos, veio mais um jornalista da TVI, em jeito de rábula, queixar-se de que o treinador do Benfica não lhe respondia às perguntas que trazia escritas de casa.
São os ossos do ofício, sempre ouvi dizer quando fui jornalista. Se está frio, paciência, aguentem-se porque os leitores ou os telespectadores não têm nada a ver com isso. Se os entrevistados não nos respondem como gostávamos, outra vez paciência, para próxima teremos de preparar melhor o nosso trabalho. Mas sempre poupando o público que nos lê ou que nos ouve às agruras inevitáveis de qualquer profissão.
No dia seguinte, este incidente na flash-interview produziu, pelo final da tarde, uma série de pequenos acontecimentos em cadeia.

Sem que a TVI tenha denunciado ou protestado algum comportamento inconveniente ou de cariz violento perpetrado, no rescaldo do «então, xau», por algum funcionário do Benfica sobre o seu funcionário-jornalista, correu a notícia de que tal teria acontecido o que motivou o FC Porto a redigir, através do seu gabinete de comunicação, um comunicado acusando a actual gerência da Luz de um comportamento igual «aos dos filmes sobre gangsters».

Reagiu com uma rapidez que, este ano, tanto tem faltado ao nosso meio-campo, o gabinete de comunicação do Benfica com um comunicado que mais não é do que o elencar de uma série já com duas décadas de tropelias e actos de violência ou ameaças perpetradas contra treinadores, jogadores e jornalistas, a última à porta de um tribunal no Porto e que consistiu de um ensaio de atropelamento e fuga de um repórter fotográfico, documentado por imagens e sons num registo que, na altura, teve o merecido destaque informativo.

Provavelmente nunca se saberá se o jornalista que foi vítima dessa gracinha automobilística apresentou queixa na polícia. É de crer que não tenha apresentado. Como já foi referido, actualmente, tal como num passado não muito distante, há sempre profissionais da informação mais inclinados a queixarem-se do frio ou da chuva, que são os ossos do ofício, do que da pancada, que são os ossos mesmo a sério.


Entra assim para a pequena história dos energúmenos do futebol português o jornalista da TVI a quem Jorge Jesus disse «então, xau!». Não sendo certo que tenha sido molestado fisicamente - o Benfica desmente o incidente e a TVI não o confirma - é mais do que certo de que é o primeiro jornalista a ser defendido, em comunicado pelo FC Porto, o que é obra quase tão cómica quanto a bucha final do referido jornalista - a referência à Benfica TV - no seu diálogo interruptus com o treinador do Benfica.
Quanto ao comunicado do Benfica, vê-se bem que foi escrito à pressa, o que se lastima.


É de todo compreensível o facto de o FC Porto tentar fazer uma lavagem do seu passado histórico, através do seu gabinete de comunicação onde, provavelmente, até trabalham pessoas que ainda nem tinham nascido quando apareceram os primeiros jornalistas queixando-se de forte pancadaria.
Mas já não é nada compreensível que o Benfica, na urgência de uma resposta bem pensada mas muito mal medida, tenha colaborado nessa mesma lavagem apresentando uma short list, ou seja, uma lista muito resumida de nomes, de factos e de situações que, algumas, conseguiram mesmo o notável feito de ultrapassar o âmbito exclusivamente desportivo.


Foi, de facto, uma pena perder-se uma oportunidade destas.
E toda esta nervoseira apenas porque, no fim-de-semana, o Benfica conseguiu baixar de 10 para 8 não menos épicos pontos a distância a que se encontra do líder do campeonato. Se alguma vez se chegarem aos 6 pontos de diferença… ninguém sabe o que se poderá passar no país.
Em termos de comunicados, obviamente.
Até lá, então, xau.
E com Xau, lá vão lavando mais branco.
SEMPRE que não ganha um jogo, André Villas Boas faz-se expulsar do banco pelo árbitro.
Aconteceu em Guimarães e aconteceu em Alvalade. No entanto, esta semana, o treinador do FC Porto não conseguiu fazer da sua expulsão um caso cuja ressonância abafasse a semana toda em nome das injustiças a quem o seu emblema é sujeito.
Mais uma vez José Mourinho roubou-lhe o protagonismo e sentou-o no seu devido lugar.
O que vale isso de ser expulso pelo Jorge Sousa comparado com levar 5 do Barcelona em Nou Camp?
Leonor Pinhão, 2 de Dezembro 2010 in Jornal A Bola

Também Pode Gostar

Blog Widget by LinkWithin