segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Como evitar o cartão amarelo...

Aconteceu este sábado, durante o jogo da Liga Grega entre o Iraklis e o Aris de Salónica.
Se há jogadores que chegam quase a chorar para evitar um cartão amarelo, existem outros que vão mais além..


domingo, 30 de agosto de 2009

Adivinha






Se morre ela, ele fica viúvo

Se morre ele, ela fica viúva

E entre homossexuais. Que nome se dá ao sobrevivente?


.
.
.
.
.
.
.
.
.


R: Bicha solitária

Abriu a Caça ao Jornalista

GOSTAVA de começar por pedir desculpa pelo que aqui escrevi na semana passada. Quando falei dos sucessivos espancamentos que vitimam os funcionários do Porto, cometi um erro grave: esqueci-me das agressões que, também na região do grande Porto, têm vitimado os jornalistas. Carlos Pinhão foi espancado à saída de um Beira-Mar-Porto, Marinho Neves foi agredido várias vezes e, a fazer fé nos jornais, esta semana calhou a um repórter do Jornal de Notícias ser vítima de atropelamento e fuga. Desta vez, não se trata de um jornalista desportivo e, como fazia cobertura a um caso da vida privada de Pinto da Costa, o acontecimento não deveria ter repercussão nos jornais desportivos. Foi então que a SAD do Porto emitiu um comunicado a explicar o sucedido, e nessa altura o episódio passou a pertencer ao âmbito do futebol. Notou-se. A polémica que se seguiu foi mais parecida com uma discussão sobre futebol do que com uma conversa sobre código da estrada. O jornalista disse que foi atropelado; a SAD diz que houve apenas um contacto lícito entre o retrovisor e o homem. Uma espécie de carga de ombro automobilística. É tudo uma questão de intensidade, como diria Pôncio Monteiro. As testemunhas disseram que a polícia mandou parar o carro; a SAD alega que o motorista não ouviu o apito, pelo que não há lugar à amostragem do cartão amarelo.

Como é evidente, tratar o episódio como um caso futebolístico, e não como um problema de trânsito, beneficia Pinto da Costa: no mundo do futebol, em princípio, nunca lhe acontece nada.

NO dia 9 de Junho, em entrevista à RTP, José Eduardo Bettencourt disse que Paulo Bento era, e cito, «o melhor treinador da história do Sporting». Em Julho, depois do falecimento de Bobby Robson, recordou o inglês como «um bom treinador», e disse que o seu despedimento por Sousa Cintra tinha sido um «erro histórico do Sporting». Em Maio, já tinha dito «Paulo Bento forever». Em princípio, portanto, e tendo em conta que forever dura bastante tempo, neste momento é mais provável o Sporting despedir o presidente do que o treinador.

Benfica-Marítimo. Na grande área dos visitantes, um defesa lança-se para o chão e, inadvertidamente, toca com a mão na bola. O jogo estava empatado. O árbitro mandou seguir. Sporting-Braga. Na grande área dos visitantes, um defesa lança-se para o chão e, inadvertidamente, toca com a mão na bola. O jogo estava empatado. O árbitro mandou seguir. Porto-Nacional. Na grande área dos visitantes, um defesa lança-se para o chão e, inadvertidamente, toca com a mão na bola. O jogo estava empatado. O árbitro marcou penalty. Diz-se que faz falta definir um critério para ajudar a avaliar estes lances. Como é óbvio, o critério já existe. Toda a gente o conhece, e é bem antigo.

Por Ricardo Araújo Pereira, Edição 29 de Agosto 2009 - Jornal "A Bola"

sábado, 29 de agosto de 2009

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Deixem o Cardozo falhar...

Poderão os benfiquistas mais ingénuos andar preocupados com o desacerto de Óscar Cardozo quando se trata de marcar grandes penalidades. Descansem, sosseguem, sorriam porque Cardozo limita-se a cumprir, com um estóico sentido de disciplina, a superior missão que lhe foi confiada no balneário.
— Óscar, filho, nem te atrevas a acertar no fundo das redes. Quando o senhor árbitro apontar para a marca de 11 metros só tens duas hipóteses. Bola para fora ou bola à figura… — ordenou-lhe, com firmeza, Jorge Jesus de olhos nos olhos, fazendo sentir ao paraguaio a importância da situação.
Cardozo nem pestanejou. Timidamente, limitou-se a insinuar uma dúvida que o assaltou no momento em que ouviu o que ouviu do seu treinador:
— Ainda há uma terceira hipótese, mister Jesus...
— Não há nada, bola para fora ou bola à figura!
— E bola ao poste?
— Nem pensar nisso, é muito arriscado… Quem te garante que tal tentativa de minúcia na pontaria não acabe mal…
— Em golo? — questionou Cardozo, atónito.
— Sim. Em golo. E, Óscar, filho, nós não podemos nesta altura do campeonato converter nenhuma grande penalidade. É uma questão estratégica, olha que eu ando nisto há muitos anos e sei do que estou falar! — disse mister Jesus com tal veemência que o goleador sul-americano viu-se obrigado a dar a conversa por encerrada.
Diga-se, em abono da verdade, que Cardozo tem sido impecável. Já falhou três grandes penalidades, a primeira na pré-época e, com grande desplante, duas nas primeiras duas jornadas do campeonato.
Os benfiquistas podem andar preocupados. Mas Jorge Jesus está radiante embora lhe tenha demorado uma boa meia hora a explicar aos altos comandos da SAD da Luz a superior razão deste sacrifício. Mas, no fim, deram-se todos por esclarecidos, naturalmente…
O treinador entrou a matar na reunião. Estavam todos os executivos do Benfica sentados à volta de uma mesa que de tão limpa até brilhava e preparavam-se para cobrar ao mister Jesus a contumaz ineficácia do paraguaio no momento da decisão. É que nem tiveram hipótese de abrir a boca…
— Meus amigos, lembram-se daquele excerto das escutas do processo do Apito Dourado em que dom fulano diz a dom beltrano: «Eh pá, é tudo uma questão de hábito»…? — perguntou-lhes o treinador.
Pois não se lembravam. Incrível.
— Então é por isso que nos temos que habituar a ver o Cardozo a falhar penalties? — assomou-se um administrativo com tal dislate enquanto ajeitava o nó da gravata.
Levou logo uma grande rabecada. Respondeu-lhe, de cátedra, Jorge Jesus enquanto desajeitava o nó da gravata:
— Oh filhos, abram a pestana! A questão não é habituarmo-nos a ver o Cardozo a falhar penalties, a questão é muito mais à frente do que isso. O que nós temos de fazer é habituar os árbitros a marcar penalties a favor do Benfica sempre que os nossos adversários cometem infracções dentro da sua área, coisa que raramente acontecia como devem estar recordados…
Não perceberam nada do que mister Jesus lhes dizia. Pelo que mister Jesus teve de lhes explicar devagarinho, quase que soletrando:
— A única maneira de habituarmos os senhores árbitros a marcarem os devidos penalties a nosso favor é darmos-lhes, como garantia, que o referido castigo máximo vai ser falhado no momento da execução…
Rui Costa teve, neste momento, um ataque de riso. E disse em voz muito baixa, quase só para ele:
— De facto, este gajo percebe mais disto que o Quique…
Inspirado pela boa disposição do maestro, mister Jesus continuou, imparável
— Imaginem vocês, caros doutores, filhos, quantos penalties teriam sido marcados a favor do Benfica nos últimos 20 anos se os senhores árbitros tivessem a certezinha absoluta que os nossos pontapeadores não acertavam na bola nem na baliza?
Foi um verdadeiro sururu à mesa. Todos tinham de repente uma opinião literalmente abalizada:
— 127 penalties! — gritou um administrador.
— Qual quê?! 259!
— Que exagero, 86 penalties! — contrapôs o administrador que presidia à sessão.
— 86? — escandalizou-se mister Jesus. — Você só diz isso porque é lagarto!
A coisa ia ficando feia e foi aí que Luís Filipe Vieira, que estava à janela a falar ao telemóvel, se viu obrigado a intervir, pondo cobro à altercação.
— Façam o favor de deixar o senhor Jesus terminar o seu raciocínio!
Fez-se logo silêncio. E o treinador prosseguiu:
— O Benfica anda a ser enganado há décadas e chegou o momento de ser o Benfica a enganá-los. Vocês sabem, por experiência própria, que aquela choradeira dos árbitros e dos coitadinhos não vos levou a lado nenhum. Antes pelo contrário… quanto mais choravam mais os outros se riam. É ou não é?
— É! — responderam todos em coro.
- Então, como isto aqui se trata de uma questão de hábito, de acordo com as gravações da Judite…
— Mas quem é a Judite? — perguntou um executivo distraído.
— Eh pá, cala-te! — foi a resposta que recebeu da assembleia cada vez mais interessada e atenta.
Jesus esteve quase a perder a paciência. Mas prosseguiu:
— De acordo com as gravações da P.J., se a questão é de «hábito» vamos habituá-los a marcar grandes penalidades a favor do Benfica dando-lhes como garantia que as bolas não entram… Oferecemos-lhes a ilusão da honestidade e eles ficam todos contentes. Até acham que vão para o céu…
— Mas nós, se falharmos os penalties, acabamos no inferno… — atirou um administrador céptico.
— Oh filho, tenha calma! — respondeu-lhe mister Jesus. — Uma coisa de cada vez. Primeiro vem o hábito de apitar para a marca dos 11 metros e isto é que é verdadeiramente difícil de atingir. Depois, metê-las lá dentro é quando quisermos e nos fizer falta!
— Mas metê-las a quem? — perguntou o tal executivo ditraído.
— Às bolas, porra! — gritou o presidente que estava feito com o treinador desde o princípio da reunião.
E assim acabou a conferência.
Portanto, em conclusão, calma benfiquistas. Sosseguem. Sorriam. Deixem o Cardozo falhar..
Já sabem a última? Depois do malandro do Adriano ter desancado à pancada um grupo de sacristãos à porta da missa não é que um fotógrafo do Jornal de Notícias atropelou o carro onde seguia o presidente do FC Porto depois de uma sessão de tribunal? E nem parou para pedir desculpa…

Por Leonor Pinhão, Edição 27 de Agosto 2009 - Jornal "A Bola"

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Evocar o TITANIC não chegou...



Fiorentina 1 - Sporting 1

Empate em Florença deixa Sporting fora da Champions
Mesmo sem ter perdido nenhum dos jogos os leões estão fora da Liga dos Campeões.

Semenya recebida em delírio no aeroporto

 












Caster Semenya, vencedor(a) da medalha de ouro na prova dos 800 metros no Mundial de Atletismo de Berlim, teve uma recepção apoteótica quando chegou ao aeroporto de Joanesburgo em África do Sul. As dúvidas sobre o seu sexo geraram uma onda de apoio entre os seus compatriotas, que fizeram questão de o demonstrar acarinhando a(o) atleta à chegada.

Entre os que receberam a delegação, muitos exibiam faixas com frases como «viva Semenya»,«a nossa grande dama do desporto, Semenya» e «Semenya faz-me 1 Filho»...
O povo continua dividido...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Caster Semenya no centro da Polémica

A(o) sul-africana(o) Caster Semenya, de apenas 18 anos, vencedor(a) dos 800 metros dos Mundiais de Berlim, deixando as adversárias a uns 80 metros de distância, tem sido figura devido às dúvidas criadas relativamente ao seu género.

Enquanto não chegam os resultados pedidos pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) para averiguar se a(o) atleta faz xixi de pé ou sentado, a imprensa inglesa avança que a(o) atleta tem os níveis de testosterona três vezes superiores ao habitual numa mulher....

Querem ver que também passou na Mealhada para comer um leitãozinho....
Vanessa, cuida-te...!

domingo, 23 de agosto de 2009

E dos céus chegou a Fortuna



Guimarães 0 - Benfica 1

Com uma elevação e cabeceamento excepcional, o internacional brasileiro Ramires em cima do minuto 90 marcou o golo que valeu os 3 pontos...

Foi uma Vitória arrancada a ferros mas desta vez, a sorte virou a nosso favor.
Sinal de campeão, esperemos...



Declarações de Ramires:
"Merecíamos a vitória, até pelo forma como aconteceu. Consegui fazer o golo e ajudar a equipa a ganhar o jogo"


"Procuro trabalhar para ajudar a equipa e agradeço aos adeptos do Benfica, que lotaram o recinto, o apoio que mostraram até ao fim do jogo".

A finalizar, Ramires quis "aproveitar para dedicar" à sua esposa o seu primeiro golo com a camisola do Benfica.


Declarações de Jorge Jesus:
"Os campeões fazem-se assim,com sacrifício e acreditando até final.
Esta equipa está com espírito guerreiro e está muito forte"


É com golos destes que se ganham campeonatos...

sábado, 22 de agosto de 2009

Há mais espancamentos no Porto hoje do que em Chicago nos anos 20

QUAL é a profissão mais perigosa do mundo? Militar? Polícia?
Não: funcionário do Porto. É incrível, mas os funcionários do clube da organização são os que se encontram mais vulneráveis ao crime organizado. Quem trabalha para o clube do rigor está mais perto do rigor mortis. Derlei foi ameaçado, Costinha ameaçado e insultado, Paulo Assunção ameaçado, insultado e perseguido. O carro de Cristian Rodríguez ficou com os vidros partidos, o de Co Adriaanse levou com um very light. As agressões são tão eclécticas quanto o próprio clube, e por isso não esquecem as modalidades: o basquetebolista Matt Fish foi agredido num escritório, e agora o futebolista Adriano, 11 dias depois de ter sugerido que iria fazer revelações polémicas sobre o Porto, foi espancado à porta de uma discoteca. A violência contra funcionários do Porto é tão frequente que devia ser contratualizada e comunicada à CMVM: «O jogador Adriano assinou contrato por três anos com a FC Porto SAD, ao longo dos quais vai auferir um salário de 35 000 euros mensais e enfardar duas cargas de pancada por trimestre».
O mais surpreendente é que tudo isto aconteça impunemente a empregados do clube da gestão altamente profissionalizada. O Porto não consegue proteger os seus trabalhadores, nem parece interessado em fazê-lo. Nunca os dirigentes do clube da competência e da estrutura vieram a público manifestar indignação contra quem agride os seus funcionários. Não se ouve um apelo às autoridades, uma intenção de agir judicialmente contra incertos, um pedido para que os bandidos vão agredir gente de outras colectividades. Nada. Mas talvez o problema seja a enorme quantidade de suspeitos: quem teria interesse em agredir um jogador que está a treinar-se à parte porque recusa há anos as soluções de transferência que o Porto lhe propõe e duas semanas antes da agressão, disse: «Quando eu decidir falar, saiam da frente»? Tanta gente.
Pelo menos, agora percebemos melhor o que Adriano quis dizer: «Quando eu decidir falar, saiam da frente, porque nessa altura já não devo ter dentes e sou capaz de ter dificuldades em controlar a saliva».
No final do jogo contra o Paços de Ferreira, Jesualdo Ferreira lamentou: «É fácil expulsar Hulk em Portugal». Alguém console o professor, porque está a chorar em vão. Na verdade, não é assim tão fácil. O que continua a ser fácil, em Portugal, é anular golos aos adversários do Porto no último minuto. Expulsar o Hulk é até bastante difícil, na medida em que, ao contrário do que sucede com os outros jogadores, Hulk só recebe ordem de expulsão ao fim da segunda infracção para vermelho directo: a bofetada a um jogador do Paços de Ferreira nem amarelo valeu, e a tesourada por trás justificou, com favor, um relutante segundo amarelo.
Embora ache que Hulk devia ter sido expulso ainda na primeira parte, gostaria de deixar claro que não condeno o seu comportamento. Pelo contrário, até acho ajuizado que os jogadores do Porto pratiquem actos violentos em campo. É uma maneira de mostrar a futuros capangas que também têm jeito para andar à pancada. Pode ser que os desencoraje.

Por Ricardo Araújo Pereira, Edição 22 de Agosto 2009 - Jornal "A Bola"

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Google Street Views




Os portugueses já podem passear virtualmente pelas ruas de Lisboa e do Porto através do Street View, uma funcionalidade do Google Maps que permite explorar locais através de imagens a 360º.

Numa primeira fase estão acessíveis para visitas virtuais a partir de qualquer ponto do globo apenas Lisboa e Porto, mas a equipa do Google está já a preparar a disponibilização de outras cidades portuguesas.

A equipa do Google Portugal começou no início de Março a recolher as imagens das duas cidades com uns carros equipados com câmaras que tiram fotografias a 360º.

Os veículos já circulam por outras cidades, como Aveiro, Braga, Évora, Portalegre e Setúbal.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Usain Bolt - Uma Lenda....



Quatro dias depois de bater o recorde mundial dos 100 metros, Usain Bolt voltou a deslumbrar o mundo pulverizando o recorde dos 200 metros (19.19 seg) que lhe pertencia desde os Jogos Olímpicos de Pequim.
Só para ter uma ideia de como ele corre numa dimensão diferente, o 2º classificado Alonso Edward do Panamá, ficou quase a 10 metros de Bolt com 19,81 segundos.
Quem voa assim só pode ser um extra terrestre...

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Usain Bolt - Uma Bala Humana



Sem limites...
O Homem mais rápido do mundo, o Jamaicano Usain Bolt bateu o recorde do Mundo de 100 metros no último Domingo em Berlim com o tempo 9,58 seg. tirando 11 centésimos ao já seu anterior recorde 9,69 seg.

Nesta prova Bolt alcançou os 45km/h e uma média de 2,43 metros cada passada, tornando-se um verdadeiro case-study da velocidade.
É caso para perguntar: "how fast can he go?"

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Peçanha - O Homem do Jogo e Anti-Jogo
















Benfica 1 - Marítimo 1

Quando se joga o suficiente para golear, mas aparece um guarda redes a fazer uma exibição impossível....(em defesas e tempo que esteve no chão)


Empate que sabe a muito pouco mas esta equipa saiu do campo com muita dignidade e com uma tremenda sensação de injustiça....

domingo, 16 de agosto de 2009

Postais da Holanda e da Madeira



4 de Agosto: Tewnte 1 - Sporting 1
15 de Agosto: Nacional da Madeira 1 - Sporting 1
Sporting no mês de Agosto excedeu a cota leiteira....

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Também Pode Gostar

Blog Widget by LinkWithin